Pai | Gabriel Medeiros

Categoria: Vivendo com FC - Postador por: Instituto Unidos pela Vida - Data: 11 de julho de 2011

A história do Gabriel Medeiros, de sua esposa e do filho deste casal, o príncipe de fibra Matheus é emocionante. Gabriel, após conhecer o Unidos pela Vida, encarar de nova forma a FC, uniu forças e fundou a Associação de Assistência à Mucoviscidose do Maranhão para ajudar todas as pessoas de lá. Parabéns pela força e pela coragem, Gabriel! E obrigada por compartilhar conosco esta emocionante história.

 

Depoimento de um Pai de Fibra: Por Gabriel Medeiros, presidente da AAMMA – Maranhão.

Quando soube que minha esposa estava grávida foi uma alegria só, pois já estávamos tentando o nosso primeiro herdeiro há aproximadamente um ano, já tínhamos feito até tratamento para engravidar. Um belo dia após comemoração pela conquista do hexacampeonato brasileiro pelo flamengo, nosso time de coração, tivemos o resultado do teste de gravidez que para feliz surpresa de todos deu positivo.

Foi outra comemoração! E desse dia em diante só pensávamos na “Lara”, pois tínhamos a intuição que seria uma menina. Por volta do quarto mês de gestação, durante a madrugada, minha esposa teve um sangramento. Fomos ao hospital e após o atendimento de emergência mediante realização de exames constatou-se que nada tinha acontecido com o bebê, tratava-se apenas de um problema na placenta que era muito baixa e o médico recomendou bastante repouso.

Por oportunidade do exame realizado descobrimos o sexo do bebê para surpresa não era a “Lara”, e sim mais um flamenguista, o “Matheus”! Ficamos todos eufóricos com a notícia!

Após passados os nove meses de gestação chegou o  dia mais feliz da minha vida, vinha ao mundo a criança mais esperada. Nasceu o Matheus, uma criança linda, só alegria!

Porém ao anoitecer do mesmo dia percebemos que algo de estranho estava acontecendo. O Matheus só dormia e não se alimentava de forma alguma. Imediatamente procuramos a médica obstetra que realizou o parto. Ela o examinou e nos informou que infelizmente o Matheus precisaria operar para realizar uma desobstrução intestinal. Tratava-se de íleo meconial.

Marcamos a cirurgia para o dia seguinte, pois não tínhamos tempo para perder… Após aproximadas três horas de pura angústia na sala de espera, tivemos a seguinte notícia proferida pelo cirurgião “ pai a cirurgia ocorreu bem, mais o caso do seu bebê provavelmente é bastante grave, pela experiência que tenho creio que seja mucoviscidose (fibrose cística), e pessoas com essa doença quando não morrem na infância só vivem até a adolescência.”

Naquele momento o que era o melhor dia da minha vida passou a ser o poir! O mundo desabou sobre minha cabeça, não sabia o que fazer, me veio então o pensamento que meu filho não chegaria à minha idade, porque Deus teria sido tão cruel conosco?

Após esta primeira cirurgia, Matheus passou por uma segunda cirurgia para retirada de líquido no testículo e ficamos exatos trinta dias na UTI neo.

Quando chegamos em casa, já mais tranqüilos, com a esperança de não ser  fibrose cística, fizemos o exame das mutações genéticas, onde foi detectada a mutação Delta F508 e ficou constatado o que não gostaríamos de acreditar, que nosso filho é portador de fibrose cística. Naturalmente fiquei muito abalado, procurei sofrer sozinho, não chorava diante da minha esposa, pois a mesma ainda estava em estado puerperal e poderia entrar em depressão, mas eu chorava muito quando estava só, questionando o por que daquilo.

Passado alguns dias após consultas médicas e iniciado o tratamento, Matheus começou a ganhar peso! Após dois meses veio a primeira infecção por pseudomonas aeruginosa e o Matheus perdeu bastante peso causando a primeira internação. Foram quinze dias de sofrimento novamente.

Em um determinado dia buscando na internet informações sobre a doença, conheci o site  www.unidospelavida.org.br. A partir desse momento comecei a encarar a fibrose cística de outra maneira… Pude constatar que existiam pessoas adultas convivendo com a doença.  Diante desta situação resolvi não simplesmente só aceitar o que deus reservou para o meu filho, mas também lutar para garantir a saúde dele e de outras pessoas que estão na mesma situação, então surgiu a AAMMA (Associação de Assistência à Mucoviscidose do Maranhão).

E deste dia em diante estamos lutando pela melhoria da qualidade de vida de nossos filhos, procurando conservá-los sempre bem, pois tenho convicção e fé em Deus que num futuro próximo a cura surgirá.

Hoje meu filho está colonizado pela terceira vez por pseudomonas aeruginosa, porém está reagindo bem ao tratamento. Apesar de tudo, é uma criança linda cheia de vida, sorridente! É a alegria da nossa família. Com certeza, com ou sem fibrose cística, foi e sempre será a melhor coisa da minha vida. Te amo meu filho! Sempre estarei do seu lado.

Depoimento enviado para a equipe do Instituto Unidos pela Vida por e-mail por Gabriel Medeiros. Este relato tem cunho informativo. Não pretende, em momento algum, substituir ou inferir em quaisquer condutas médicas. Em caso de dúvidas, consulte sua equipe multidisciplinar.

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui