Depoimento | Elaine Cristina, Mamãe de Fibra

Categoria: Notícias - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 21 de outubro de 2018

Por Elaine Cristina, mãmãe de fibra da Maria Cecília

Logo após recebermos alta da maternidade, já na primeira semana de vida, Maria Cecília começou a perder mais peso do que o esperado quando o bebê vai pra casa. Com o Teste do Pezinho negativo para Fibrose Cística em mãos, começamos a percorrer, semana após semana, em busca de uma solução para o que estava havendo.

A cada semana ela só perdia peso, as diarreias só iam aumentando e uma discreta “chieira” apareceu. Entre o segundo e o terceiro mês de vida já se encontrava num quadro de desnutrição e desidratação. Nessa época, estávamos consultando com um pediatra que, apesar de não ter a experiência com a Fibrose Cística, notou algo estranho nos sintomas que a Maria apresentava. Foi então que sugeriu a primeira internação para investigar seu quadro.

Foram 10 dias de muitos exames, troca de dietas e observação. Quando perto da previsão de alta, a médica responsável por Maria no leito me disse: “Mãezinha, diante dos sintomas que a Maria apresenta e com base no que você me relatou, estou suspeitando de uma doença genética que só poderá ser confirmada por meio de um exame específico (Teste do Suor) que não deve ser feito aqui”.

Então, logo que recebemos alta, no dia 08 de setembro de 2017, fomos ao Nupad. O resultado saiu no final do mesmo dia. Como a médica suspeitava, foi confirmado o diagnóstico: Fibrose Cística. Eu nem imaginava o que era essa doença, nem suas complicações.

Junto com esse diagnóstico veio o medo, angústia, frustração e insegurança mas, ao mesmo tempo, senti alívio e uma vontade enorme de ver minha filha viver. Foi tudo muito rápido. Logo que levamos o resultado para a médica que nos acompanhou na internação, ela já nos encaminhou para um dos centros de referência em Belo Horizonte, onde Maria Cecília iniciou seu tratamento. Ele é composto pelo uso de enzimas (cada refeição), fisioterapia respiratória, nebulizações e uso de algumas vitaminas que auxiliam no tratamento. Hoje, com toda certeza, ela está ótima,  vivendo um dia de cada vez.

Hoje Maria Cecília completou 1 ano e 4 meses de vida. Ela é a dona de um sorriso sem igual… Uma simpatia de menina que, por onde passa, transmite positividade e alegria. Apesar de tudo isso, sentimos o cuidado de Deus com a vida dela, só temos a agradecer. Apenas desejo que esse diagnóstico não pare na minha filha e que essa doença não seja maior que seus sonhos ao longo de sua vida.

Peço a Deus que todos os fibrocísticos tenham uma vida normal e sem dor e que as famílias sejam amparadas também pois a lida diária com a doença não é fácil. Esse é um pedacinho da nossa história! Obrigada e um beijo a todos!

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui