Descoberta nova forma inalada de RNA Mensageiro que pode funcionar para o tratamento da Fibrose Cística

Categoria: Coluna Científica - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 21 de janeiro de 2019

Uma forma inalada de RNA mensageiro (mRNA) com a capacidade de liberar substâncias terapêuticas nos pulmões de pacientes com Fibrose Cística (FC) foi descoberta por pesquisadores do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts).

Os pesquisadores desenvolveram um tipo de nanopartícula aplicada pelo nebulizador como uma névoa inalada que permite a entrega de mRNAs aos pulmões de camundongos. Essa tática vai permitir que o RNAm leve as substâncias de tratamento diretamente nos pulmões de pessoas com FC e outras doenças pulmonares, dizem os pesquisadores.

O estudo com essa descoberta, “Inalado Nanoformulado mRNA Polyplexes para Produção de Proteína em Epitélio Pulmonar”, foi publicado na revista Advanced Materials.

O RNA mensageiro (mRNA) é a molécula mensageira que traduz as informações dos genes de forma que as células possam “ler” e produzir as proteínas. Muitos grupos de pesquisadores têm se dedicado a criar maneiras de usar o mRNA “tradutor” de proteínas terapêuticas como terapia para doenças genéticas ou câncer.

A principal dificuldade desta técnica tem sido encontrar materiais que sejam seguros e eficientes na entrega das moléculas de mRNA às células alvo. As moléculas de mRNA são muito instáveis e facilmente se desfazem, portanto, precisam ser transportadas por algum tipo  de veículo de proteção.

Em seu estudo, os pesquisadores criaram uma transportadora que superou esses obstáculos e permitiu a entrega direta nos pulmões. Muitos medicamentos para doenças pulmonares, incluindo a FC, podem ser administrados através de um inalador, que pulveriza partículas em pó do medicamento nos pulmões, ou um nebulizador, que administra a medicação sob a forma de uma névoa inalada.

A equipe do MIT criou esferas muito pequenas, ou nanopartículas, de um polímero chamado poli (beta-amino ésteres) hiperbranquiados que se misturou com o mRNA. Estes polímeros foram capazes de estabilizar as moléculas de mRNA durante o processo de entrega e, mais importante, são biodegradáveis (naturalmente decompostos). Esta é uma propriedade essencial, já que os testes em humanos de outra pesquisa foram excluídos por causa da preocupação com o nível tóxico que poderiam ser acumulado no corpo.

“A respiração é uma rota de entrega simples, mas eficaz, para os pulmões. Assim que as gotículas de aerossol são inaladas, as nanopartículas contidas em cada gotícula entram nas células e as comunicam a produzir uma proteína específica a partir do mRNA”, disse Asha Patel, PhD, principal autora do estudo, em um comunicado do MIT escrito por Anne Trafton. Patel é ex-pesquisadora do MIT e professora do Imperial College London.

Para realizar os primeiros testes preliminares e pré-clínicos, os pesquisadores administraram em camundongos mRNAs que orientam a produção de uma proteína que brilha (a proteína luciferase dos vaga-lumes). Essa abordagem permitiu que os cientistas usassem um detector de luz e um microscópio para ver quais células e órgãos receberam os mRNAs e estavam produzindo a proteína.

Os resultados mostraram que nas 24 horas após a administração do mRNA via nebulização, as moléculas atingiram os pulmões inteiros e entraram principalmente nas células epiteliais, aquelas que revestem as superfícies dos pulmões e estão envolvidas com a FC e outras doenças pulmonares.

Os níveis de proteína podem ser mantidos constantes dando aos ratos doses repetidas do produto de polímero de mRNA. Esse tipo de uso repetido pode ser necessário se o medicamento for usado para doenças pulmonares crônicas. É de notar que as administrações repetidas não foram tóxicas para os animais.

Os dados também mostraram que a utilização pelo inalador pode ser possível no futuro, em vez de um nebulizador, o que tornaria o uso mais fácil para os pacientes.

Translate Bio é uma empresa que desenvolve mRNA para tratamentos e que contribuiu para este estudo. No ano passado, a empresa lançou um ensaio clínico para testar a segurança e a tolerância de seu produto  para a terapia de mRNA inalado para FC.

MRT5005 é usado via nebulização, e é feito para fornecer mRNAs que orientam a produção de uma proteína CFTR totalmente funcional, a proteína defeituosa na FC. O produto poderá ser usado  para tratar todos os pacientes com FC, independentemente do tipo de mutação que eles carregam.

 

Fonte: PENA, A. New Inhaled Carrier May Work for CF mRNA Therapy, Mouse Study Finds. Cystic Fibrosis News Today. 10 de Janeiro de 2019. Disponível em: https://cysticfibrosisnewstoday.com/2019/01/10/inhaled-carrier-may-work-cf-mrna-therapy-mouse-study/?utm_content=bufferb2200&utm_medium=organic+social&utm_source=facebook.com&utm_campaign=buffer.

Tradução de Cristiano Silveira, Biólogo, pai de um menino com Fibrose Cística e presidente da Associação Carioca de Assistência a Mucoviscidose (ACAM-RJ)

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui