Qualidade de vida de pessoas com Diabetes relacionada à Fibrose Cística

Categoria: Coluna Científica - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 21 de julho de 2019

A Fibrose Cística (FC) pode trazer algumas complicações para a vida das pessoas com a doença, uma delas é a Diabetes relacionada à Fibrose Cística (DRFC). A necessidade de tomar insulina pode aumentar a sensação de pior qualidade de vida, alertando os especialistas para a necessidade de encontrar abordagens que possam aliviar esse peso. É o que diz a pesquisa “O impacto da DRFC na qualidade de vida relacionada à saúde”, publicado no Journal of Cystic Fibrosis

A diabetes é uma complicação comum da FC, ocorrendo em 40% a 50% das pessoas com a doença. Essa situação afeta também  função pulmonar e o peso. A DRFC é causada pelo acúmulo de muco espesso e viscoso, característico da FC, que lesiona o pâncreas – órgão onde é produzida a insulina, chave hormonal para controlar os níveis de açúcar no sangue (glicose).

Como resultado desses danos ao pâncreas, as pessoas não conseguem produzir a quantidade suficiente de insulina, de forma semelhante à Diabetes Tipo 1. Alguns portadores também podem desenvolver resistência parcial à insulina, o que significa que seus corpos pararam de responder ao hormônio como deveriam, como é visto em diabéticos do tipo 2. 

O tratamento da DRFC exige injeções frequentes de insulina sob a pele, monitoramento repetido dos níveis de açúcar no sangue e ingestão de baixos níveis de açúcar relacionados ao tratamento, o que pode representar uma sobrecarga adicional de tarefas e tratamentos para os portadores de FC.

Estudos realizados anteriormente já examinaram o impacto da DRFC na qualidade de vida, mas nenhum deles usou avaliações específicas da FC recentes ou analisou se os níveis de sobrecarga percebidos mudam conforme o grau de intolerância à glicose. 

Por isso, uma equipe de pesquisadores entrevistou 151 adultos com FC em tratamento na Clínica do St. Paul’s Hospital, no Canadá, e comparou a qualidade de vida relacionada à saúde entre as pessoas com DRFC e com pré-diabetes ou tolerância à glicose prejudicada (IGT). 

As pessoas pré-diabéticas têm níveis elevados de glicose no sangue, além dos níveis normais, mas não são altos o suficiente para serem considerados diabéticos. E aqueles com IGT também enfrentam um risco muito maior de se tornarem diabéticos. 

Os participantes foram convidados a preencher o CFQ-R 14+, um questionário com o objetivo de avaliar a qualidade de vida relacionada à saúde de adolescentes e adultos com FC com 14 anos ou mais. 

Os resultados foram comparados entre as pessoas com 1) DRFC usando insulina; 2) DRFC sem insulina; 3) intolerância à glicose; 4) tolerância normal à glicose no sangue.

Os pesquisadores observaram que as pessoas com DRFC que recebem injeções regulares de insulina sentem um peso significativamente pior em relação ao domínio de sobrecarga do tratamento de 44,4, em comparação com o escore mediano de 66,7 em todos os outros três grupos.

Resultados semelhantes foram obtidos após o ajuste da análise para considerar as diferenças de grupo na gravidade da doença e o peso de outros tratamentos da FC.

Não foram encontradas diferenças significativas para outros domínios da qualidade de vida – atividade física, vitalidade, emoção, alimentação, percepção de saúde, relações sociais, imagem corporal, peso, sintomas respiratórios e digestão.

“Em conclusão, o uso adicional da insulina contribui significativamente para a sobrecarga de tratamento em adultos com DRFC e, portanto, novas estratégias para reduzir esse peso neste grupo são urgentemente necessárias”, escreveram os pesquisadores. 

Eles também acrescentaram, “nós tivemos poucos participantes no grupo DRFC para conseguir determinar se um regime específico de insulina (por exemplo, bomba, bólus ou basal) contribui mais para o aumento do peso em relação ao tratamento. “Fatores específicos que reduzem a qualidade de vida em pessoas com FC e que são dependentes de insulina – como a frequência do teste de glicosímetro e o tipo de administração de insulina – precisam ser avaliados em estudos futuros”. 

Fonte: PENA, Diabetes and Insulin Treatment Adds to CF Burden and Ways Are Needed to Ease It, Study Says. Cystic Fibrosis News Today. 29 de março de 2019. Disponível em: https://cysticfibrosisnewstoday.com/2019/04/29/diabetes-and-insulin-treatment-adds-to-cf-burden-and-ways-are-needed-to-ease-it-study-says/.

Tradução: Julianna Rodrigues Beltrão, acadêmica do 9º período de Psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR); presidente da Liga Acadêmica de Humanização do Cuidado em Saúde (LAHCS); atua no setor de Psicologia e Projetos do Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística.

Revisão: Verônica Stasiak Bednarczuk de Oliveira, psicóloga – CRP 08/16.156, especialista em análise do comportamento, fundadora e diretora geral do Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística, diagnosticada com FC aos 23 anos de idade. 

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui