Dia do Amigo – Histórias de amizade de fibra!

Categoria: Depoimentos - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 19 de julho de 2019

Dizem que no Brasil há centenas de “Dias do Amigo” durante o ano, mas de acordo com o nosso calendário, a data oficial que marca a passagem do Dia do Amigo é 22 de julho. Essa é uma data super especial e feita para que a gente celebre nossas amizades, esteja ainda mais próximo dos nossos amigos e comemore a presença dessas pessoas tão especiais em nossas vidas.

É muito comum que a gente pense que amigo é aquele colega de escola, faculdade ou trabalho. Mas você já se deu conta que seu pai, sua mãe, seus irmãos, seu namorado, sua esposa e até mesmo seus professores podem ser seus amigos também? A amizade é um sentimento incrível e pode estar presente em todos os nossos relacionamentos.

Pensando nisso, o Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística conversou com alguns amigos e amigas de pessoas diagnosticadas com a doença para conhecer um pouco mais sobre essas lindas histórias de amizade. Vamos conferir?

Hanna e Thalita

Nossa primeira história de amizade de fibra é entre a Hanna, de 8 anos e diagnosticada com Fibrose Cística, e a Thalita Costa de Souza, de 33 anos, professora de educação física e estudante de fisioterapia. As duas moram em Salvador/BA e a Thalita dá aula de natação e psicomotricidade para a Hanna há 3 anos.

“A psicomotricidade trabalha o condicionamento físico, toda a parte cardiorrespiratória, a coordenação motora, potência física, força, fortalecimento muscular e a consciência corporal, ajudando muito nas atividades realizadas durante a natação. Acompanho a Hanna há 3 anos e nosso relacionamento vai além do de aluna e professora, somos amigas. Meu contato com sua família também é de muita amizade e companheirismo”, explicou Thalita.

A Thalita também contou que não conhecia a Fibrose Cística antes de ter contato com a Hanna, mas buscou conhecer mais sobre a doença para ajudá-la da melhor maneira possível com as atividades físicas.

“Quando conheci a Hanna e sua família, também conheci a Fibrose Cística e passei a estudar mais sobre a patologia para conseguir ajudar ainda mais. Para mim, ela é uma criança incrível, com uma vida normal dentro dos limites da doença. Nosso primeiro contato foi ótimo, super tranquilo. A Hanna nunca tinha entrado em uma piscina antes, justamente por conta das bactérias que podem estar presentes na água e causar algum tipo de contaminação. Mas deu tudo certo. Ela é ótima e seus pais são maravilhosos, muito instruídos sobre tudo e estão super por dentro da Fibrose Cística. Ela teve pneumonia apenas uma vez e acredito que isso é resultado de todos os cuidados com o tratamento que todos têm durante o dia a dia da família. Todos são muito presentes e cuidam dela muito bem”, contou.

A prática regular de atividades físicas faz parte do tratamento para a Fibrose Cística e essa é uma das etapas em que a Thalita está mais presente e consegue ajudar sua amiga Hanna.

“Já identificamos uma melhora pulmonar muito grande desde que começamos as atividades. Inclusive, faço aferição das incursões respiratórias dela e estão ótimas. Até mesmo nos dias de crise, quando há um quadro alérgico, uma gripe ou algo do tipo, ela responde muito bem”, ressaltou.

E para celebrar essa data tão especial, a Thalita deixou uma linda mensagem para a sua aluna e amiga de fibra!

“Hanninha, neste Dia do Amigo, gostaria de te desejar muita saúde e alegrias. Que você continue essa criança maravilhosa e super disposta. A profe Thali ama muito fazer parte da sua vida. Um beijo enorme em seu coração”, finalizou.

Guilherme e Emily

Dizem que grandes histórias de amor começam com lindas histórias de amizade e companheirismo. No caso da Emily Lustosa, de 20 anos, e do Guilherme Surgik, de 21 anos e diagnosticado com Fibrose Cística nos primeiros meses de vida, foi isso que aconteceu: a amizade se tornou amor.

Esse lindo casal mora em Curitiba/PR e se conheceu quando os dois ainda estavam no ensino médio, há seis anos. 

“Eu notei o Guilherme durante uma aula de educação física e decidi perguntar o nome dele. Logo que ele me falou eu já fui procurar no Facebook. A gente sempre se deu muito bem, somos tipo chave e fechadura: com encaixe perfeito. Mas, sempre fomos apenas amigos. Apenas em 2018 começamos a namorar oficialmente. Antes disso, era apenas uma amizade maravilhosa, que temos até hoje, e que construímos juntos”, contou.

Foi em 2017 que o Guilherme e a Emily começaram a se aproximar mais. A relação era forte, de muita confiança e parceria. Mas, em algum momento, a amizade não foi mais suficiente.

“Sempre conversávamos muito sobre tudo. Ele sempre me levava ao parque, ao shopping, ia me ver no intervalo do meu trabalho. Nós gostávamos de ser amigos, mas chegou uma hora que só isso não bastava mais. Estávamos muito próximos e concordamos em tentar ser mais do que apenas amigos. E estamos juntos até hoje”, disse.

A Emily não conhecia a Fibrose Cística antes de iniciar sua amizade com o Guilherme, mas afirma que a doença nunca interferiu na amizade dos dois e muito menos no relacionamento amoroso que iniciaram agora.

“Nunca interferiu, mas confesso que sempre me deixou um pouco preocupada, com medo, mas esse sentimento ultimamente já passou. Acredito que a amizade que nós dois construímos, com tanto amor e carinho, fez com que a gente entrasse em um relacionamento sério. O Guilherme é uma pessoa incrível, que me ensinou a dar valor para cada respiração, cada momento juntos, para a vida como um todo. Meu amor por ele é enorme e eu sou eternamente grata pela amizade e companheirismo que ele trouxe para a minha vida”, finalizou Emily.

Rafaeli e Bernardo

Agora é hora de conhecer um pouquinho mais da história de amizade entre o Bernardo Madke dos Santos, de 17 anos, e da Rafaeli Dallabrida, diagnosticada com Fibrose Cística.

“Eu conheci a Rafaeli durante um retiro da igreja. Logo que eu a vi eu percebi que era uma verdadeira guerreira e batalhadora. Em meio a tanta correria e problemas, ela estava lá, compartilhando muita alegria conosco, firme e forte, com um lindo sorriso no rosto”, contou Bernardo.

Essa amizade tem pouco tempo, menos de um ano, mas já é muito forte. O Bernardo e a Rafaeli já formaram um forte laço de amizade e carinho um pelo outro e pretendem fazer com que isso dure por muitos e muitos anos.

“Somos amigos há pouco tempo, mas os laços que eu criei com ela são fortes e intensos. Uma vez, quando ela teve que ficar hospitalizada em Porto Alegre/RS por 15 longos dias, eu juro que quase compre passagens para sair daqui, Augusto Pestana/RS, e ir para a capital para ficar com ela. Eu queria estar perto e poder ajudar e animar como pudesse”, relembrou.

Dizem que a distância pode acabar ou afastar amizades, mas isso não acontece com o Bernardo e a Rafaeli. Eles moram em cidades diferentes no interior do Rio Grande do Sul , mas a distância só fortalece ainda mais o relacionamento dos dois.

“Moramos em cidades diferentes e isso faz com que eu fique com muita saudade da minha amiga. Temos pouco tempo livre em nosso dia a dia, por isso, acabamos nos vendo menos do que gostaríamos. Mas, mesmo assim, a Rafaeli se mostra presente o tempo todo em minha vida, vive me chamando nas redes sociais para dizer que me ama e eu adoro isso nela”, contou Bernardo.

Antes de conhecer a Rafaeli no retiro da igreja, o Bernardo não conhecia a Fibrose Cística, mas passou a se interessar mais pelo assunto quando a amizade começou.

“Ela me apresentou a Fibrose Cística e me aprofundou no assunto. Logo que tive mais informações fiquei muito chocado e comovido com tudo que ela me contou. Eu ficava vigiando para ver se ela realmente estava bem, corria para pegar água quando sentia que ela estava mais cansada, mas não sinto que a doença interfere em nossa amizade. Muito pelo contrário, apenas reforça o quão incrível e inspiradora a Rafaeli é”, disse.

Para finalizar o relato dessa linda história de amizade, que temos certeza que vai durar por muitos e muitos anos, o Bernardo mandou uma linda mensagem para a Rafaeli nesse Dia do Amigo.

“Acho que deu para perceber o quão importante ela é para mim, presente ou não, independente da Fibrose Cística, felizes ou tristes. Estamos sempre unidos, mesmo com a distância. A Rafaeli desperta em mim uma alegria e muita força a cada sorriso, em cada conquista. Tudo isso me faz ser uma pessoa melhor e mais determinada a cada dia que passa. Espero um dia poder retribuir tudo que ela me traz. Recomendo que todos que não conhecem a Fibrose Cística se aprofunde mais nesse assunto e conheça esses salgadinhos cheios de força, alegria e esperança”, finalizou Bernardo.

Uma história de amizade mais linda que a outra, não é verdade? O Unidos pela Vida deseja um feliz Dia do Amigo para todos e espera que todos tenham um dia muito especial com seus amigos de fibra!

Por Kamila Vintureli

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui