Instituto Unidos pela Vida participa de Mostra de Projetos dos ODM

Categoria: Notícias - Postador por: Instituto Unidos pela Vida - Data: 21 de novembro de 2012

Em 2012, o Instituto Unidos pela Vida recebeu o Selo dos Objetivos do Milênio, reconhecendo as atividades da instituição em prol do alcance dos Objetivos do Milênio (clique aqui para lembrar!). Divulgar a Fibrose Cística e conscientizar a população incide nos objetivos: Reduzir a Mortalidade Infantil e Combater a Aids, Malária e Outras Doenças. No último dia 13 de Novembro, o Instituto Unidos pela Vida Participou da Mostra de Projetos em Curitiba, onde 30 outros projetos apresentaram suas iniciativas. Foram realizadas várias parcerias para a divulgação da Fibrose Cística em outros lugares! Leia abaixo o relato do site Nós Podemos Paraná e saiba como foi a Mostra!

“Mostra de Projetos reúne 31 iniciativas em Curitiba”

O Movimento Nós Podemos Paraná, em parceria com as Redes de Desenvolvimento Local, realizou na última terça feira (13), uma Mostra de Projetos em Curitiba com o intuito de promover o diálogo entre as iniciativas que acontecem na capital. O evento reuniu 31 projetos que também serão apresentados no 5º Congresso Nós Podemos Paraná, que acontecerá dias 05 e 06 de Dezembro, em Curitiba.

Utilizando a metodologia de Mostra Dialogada, os projetos foram distribuídos em grupos conforme o Objetivo de Desenvolvimento do Milênio (ODM) trabalhado e pontos em comum, a fim de promover o compartilhamento de informações e possíveis parcerias. “A metodologia contribui para conhecermos os projetos e, além de aprendermos uns com os outros, percebemos a complementariedade e sinergia entre as ações. E principalmente como os ODM são integrados, pois não trabalhamos com apenas um objetivo isoladamente. Quando trabalhamos educação, também trabalhamos preservação ambiental, saúde, igualdade de gênero”, disse Diego Baptista, fundador da ONG Sociedade Global. “Devemos ampliar os espaços de conversação e diálogo. Mais do que iniciadores de projetos, somos também formadores de opiniões, agentes de desenvolvimento e líderes sustentáveis e quanto mais unidos estivermos, mas fácil alcançaremos os ODM”, concluiu Diego.

Solange Carvalho, coordenadora da Academia Liv, salienta a importância de participar da mostra e apresentar os projetos para o alcance dos ODM. “Quando a gente trabalha apenas dentro do nosso universo com os nossos projetos apenas, não sabemos qual o nível de comprometimento das outras pessoas para o alcance os objetivos até 2015.. A partir desses diálogos, percebemos quantas pessoas estão trabalhando em iniciativas sociais, além de fazermos uma rede de contatos com possíveis parcerias”.

Durante a troca de experiências, ficou claro que muitos projetos trabalham com o mesmo objetivo e foi uma oportunidade de observar parcerias. Rafael Finatti, do Instituto GRPCOM, destaca a importância de dialogar com outras instituições, pois projetos semelhantes não precisam caminhar em paralelo, podem unir forças e fazer com que o trabalho seja mais efetivo. Toni André Vieira, da Universidade Federal do Paraná, também concorda que a união de forças permite enxergar um futuro melhor. “O mais importante é fazermos o intercâmbio e a união de esforços para que haja um engrandecimento das iniciativa e maior visibilidade pública.”

E além das ofertas de parcerias, o crescimento pessoal também foi destacado. “Eu me sinto renovada por ver pessoas trabalhando por um único objetivo. Quando somos voluntários achamos que estamos ajudando outras pessoas, mas na verdade nós é que somos ajudados, nós é que aprendemos e mudamos”, destaca Hilda Ribeiro Diniz, coordenadora do projeto de Artesanato dos Voluntários Artesãos do Programa Comunidade Escola.

Um ponto que chamou atenção de todos durante as rodadas de conversas, foi o de muitos projetos serem voltadas à educação, mostrando a preocupação com a base do nosso futuro: as crianças. “Acreditamos que não conseguimos mudar o mundo se não melhorarmos as pessoas. E a maioria dos projetos apresentados tem justamente o foco na educação, foco na busca de um mundo melhor”, completou Marcia Tomiazzi, coordenadora do Projeto Oratória nas Escolas, desenvolvido pela JCI Curitiba.

Outro ponto foi a participação da Polícia Militar. Os participantes ficaram satisfeitos em ver a polícia atuando juntamente com a comunidade. Segundo o Tenente Coronel Heraldo da Silva, Adjunto à Diretoria de Ensino e Pesquisa, a Polícia Militar se ente orgulhosa em estar novamente trabalhando com projetos sociais e com o auxílio da comunidade. “Temos o mesmo objetivo: evolução social, cultural, profissional, pessoal e a melhoria da comunidade. E esse é apenas um exemplo da aproximação da comunidade com a polícia e da polícia com a comunidade: uma Polícia Militar participativa e protetora, e não opressora.”

Para Paulina de Oliveira, presidente do Conseg Sítio Cercado, essa nova visão de polícia vem para somar e dar apoio ao trabalho que está sendo desenvolvido pelos conselhos de segurança nos bairros. “Somos privilegiados com a presença dos cadetes, pois nunca se viu a polícia tão envolvida e dedicada com a situação social das comunidades.”

Fonte: http://www.fiepr.org.br/nospodemosparana/News2028content199622.shtml

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

 

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui