Nebulizadores: a importância da limpeza e desinfecção para evitar a contaminação microbiológica

Categoria: Coluna Científica - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 18 de junho de 2019

O uso de nebulizadores domésticos na Fibrose Cística é muito comum devido ao uso diário de agentes mucolíticos (alfadornase) e em alguns casos de broncodilatadores e antibióticos como parte do tratamento, porém, o seu uso deve estar acompanhado de uma higienização e secagem adequadas, levando em consideração que as infecções respiratórias são uma das principais complicações na Fibrose Cística.

Um estudo brasileiro realizado por Riquena e colaboradores (2019) sobre o perfil de contaminação microbiológica de nebulizadores usados por pacientes com Fibrose Cística, mostrou uma prevalência de 71,6% de contaminação microbiológica quando avaliado qualquer parte do nebulizador (máscara, copo ou qualquer parte do aparelho). Os dados de contaminação bacteriana foram observados em 56,8% dos casos e contaminação fúngica em 45,9%. Ainda neste estudo foi avaliado que a contaminação dos nebulizadores está associado ao tipo de limpeza, esterelização e secagem dos equipamentos, sendo que apenas a lavagem em água corrente, ou em água com hipoclorito com secagem natural ou com papel toalha não são suficientes.

Segundo o artigo brasileiro a recomendação de limpeza dos nebulizadores devem ser executadas com sabão detergente e água, a esterilização com água fervente ou no microondas, álcool ou peróxido de hidrogênio e secagem do equipamento ao tempo. Em comparação com outro estudo os autores identificaram um processo de recontaminação na secagem ativa, ou seja, quando utilizado papel toalha ou algodão. A reposição das peças dos nebulizadores também são necessárias devido ao desgaste e validade das peças. No estudo, alguns pacientes relataram que não efetuavam a troca das peças por desconhecimento da necessidade ou por esquecimento. Vale ressaltar que as peças utilizadas nos nebulizadores possuem vida útil, desta forma, é necessário sempre verificar as condições do equipamento e o prazo de validade das peças.

Um outro estudo realizado por Murray e colaboradores (2019) avaliou como as relações familiares interferem na prática de limpeza dos nebulizadores, e, segundo o estudo, durante a infância as mães eram exclusivamente ou parcialmente responsáveis pela limpeza dos nebulizadores, e com uma menor frequência os pais e avós. Os autores verificaram neste estudo que boa parte das famílias reconhece a importância da limpeza dos equipamentos (89%), porém, apenas 45% realizava a esterilização após o uso ou diariamente. De acordo com estes dados os autores observaram uma inconsistência entre o reconhecimento da importância da prevenção de germes, a limpeza e a desinfecção do equipamento, demonstrando uma adesão efetiva à diretriz dao CFF (Cystic Fibrosis Foundation) para o cuidado do nebulizador domiciliar. Os autores relatam a importância da educação no período de transição para a fase adulta como contribuição para a adesão na limpeza destes equipamentos.

Segundo as diretrizes da CFF, é importante sempre limpar e desinfetar o nebulizador, pois a contaminação com germes através do nebulizador podedesenvolver uma infecção pulmonar. Os nebulizadores são dispositivos médicos que transformam medicamentos líquidos em uma névoa, que é então inalada. As instruções para muitos medicamentos inalatórios especificam que elas sejam usadas apenas com nebulizadores específicos, desta forma, é sempre necessário verificar se está utilizando o nebulizador correto para o medicamento.

O CFF recomenda após o uso do inalador:

Para desinfecção existem duas opções, métodos de calor e frio.

Métodos de Calor:

Métodos Frios:

Os estudos ressaltam que os nebulizadores são uma fonte potencial de infecção para pacientes com fibrose cística, desta maneira, é fundamental a limpeza destes equipamentos para evitar que novas infecções possam surgir.

Referências:

CFF – https://www.cff.org/Life-With-CF/Treatments-and-Therapies/Medications/Nebulizer-Care-at-Home/

Murray et al. Nebulizer cleaning and disinfection practices in families with cystic fibrosis: The relationship between attitudes, practice and microbe colonization. Journal of Cystic Fibrosis. 2019.

Riquena et al. Contaminação microbiológica de nebulizadores usados por pacientes com fibrose cística: um problema subestimado. Jornal Brasileiro de Pneumologia. v. 45, n. 3, 2019.

Resumo por: Vinícius Bednarczuk de Oliveira, farmacêutico, diretor científico do Instituto Unidos pela Vida, Pós Doutorando em Ciências Farmacêuticas (UFPR), Professor Universitário, Conselheiro do Conselho Regional de Farmácia do Paraná, Diretor da Catálise Consultoria Científica.

Revisão: Verônica Stasiak Bednarczuk de Oliveira, psicóloga, especialista em análise do comportamento, fundadora do Unidos pela Vida, membro do Grupo Brasileiro de Estudo em Fibrose Cística. Diagnosticada com FC aos 23 anos, tem hoje 32 anos e é mãe da Helena.

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui