Mãe | Silvia Azambuja

Categoria: Vivendo com FC - Postador por: Instituto Unidos pela Vida - Data: 04 de maio de 2010

Silvia Azambuja, 37 anos, Psicopedagoga, mora em São José dos Campos – SP.

Por Verônica Del Gragnano Stasiak

Silvia é mãe do Príncipe de Fibra Caio Azambuja, que teve seu diagnóstico realizado aos 2 meses de vida. Hoje, com 10 anos e 10 meses, Caio realiza seu tratamento em Campinas na UNICAMP e está super bem!

Quando o diagnóstico fora realizado, Silvia conta que entrou em “desespero”, pois o que tinha de informação na época sobre a doença era nas antigas enciclopédias, e as matérias eram bastante desanimadoras. Naquele tempo, Silvia e sua família nunca tinham ouvido falar sobre Fibrose, portanto o medo era um sentimento constante.

Hoje, 10 anos após o diagnóstico, Silvia e sua família aprenderam a conviver com a doença e buscam sempre entender melhor o assunto, pesquisando sempre na Internet novas pesquisas, envolvendo-se cada vez mais.

Em seu tratamento atual, Caio utiliza continuamente Enzimas Pancreáticas, Pulmozyme, SourceCF, Fluimare e Avamys. Faz uso também de suplementos alimentares (Scandishake e Pediasure). Realiza fisioterapia respiratória duas vezez ao dia em casa, utilizando Flutter e Respiron. Caio ainda pratica futebol duas vezes por semana, e, como relata Silvia, faz tudo isso “faça chuva ou faça sol”.

Silvia acredita que o segredo do sucesso do tratamento está no apoio dos pais e dos familiares, quando realizam tudo como rotina e não como obrigação. Para ela, a visão otimista de seguir em frente sempre é fundamental. Ela afirma que faz isto todos os dias ao abrir os olhos, ao escovar os dentes, ao tomar banho, ao se alimentar…  Para ela, o otimismo e a fé são a peça chave para o tratamento e para o suporte dos filhos portadores de FC.

“Ter um filho com Fibrose Cística não é por acaso. Acredito que é merecimento de um aprendizado, ao dar mais valor a coisas que antes não dava, estar sempre aprendendo, adquirindo valores mais fortes e de desenvolvermos a capacidade de estar sempre lidando com os desafios da VIDA. Logo que o Caio nasceu ouvi de uma tia que DEUS não dá uma cruz maior do que possamos carregar, e tenho isso como lema em minha vida desde então. Preocupações, medos e angústias sempre vão estar nos rodeando independente da FC, isso faz parte da VIDA e do AMADURECIMENTO. O tratamento já faz parte da nossa rotina, e com ela que obtemos ganhos lá na frente em qualidade e quantidade de VIDA. Isso não tem preço! O Caio em minha vida veio somar, alegrar e ame fez aprender que a vida é um ciclo de aprendizado, amor, compreensão, desafios e conquistas. Aprendi a ver com outros olhos, sentir com outro tato e degustar com outro paladar. Não estou aqui com essas palavras querendo florear as coisas, mas sim querendo provar que, apesar de tudo, sempre olhe à sua volta e encontrará SEMPRE coisas piores e pessoas rindo e nos dando uma verdadeira lição de VIDA!”

Depoimento enviado para a equipe do Instituto Unidos pela Vida por e-mail por Silvia Azambuja.
Este relato tem cunho informativo. Não pretende, em momento algum, substituir ou inferir em quaisquer condutas médicas. Em caso de dúvidas, consulte sua equipe multidisciplinar.

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui