Terapias com moduladores da CFTR na Fibrose Cística

Categoria: Coluna Científica - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 14 de janeiro de 2019

Apresentamos abaixo informações importantes sobre os três moduladores da CFTR : ivacaftor (Kalydeco), lumacaftor/ivacaftor (Orkambi), e tezacaftor/ivacaftor (Symdeko™)

O que são e como funcionam?

As terapias baseadas nos moduladores da CFTR (proteína reguladora do canal que atravessa a membrana celular) corrigem a proteína defeituosa produzida pelo gene CFTR na Fibrose Cística. Uma vez que diferentes mutações causam defeitos diversos na proteína, os medicamentos desenvolvidos até o momento são eficazes apenas para pessoas com mutações específicas. Há três moduladores da CFTR para pessoas com determinadas mutações CFTR: ivacaftor (Kalydeco®), lumacaftor/ivacaftor (Orkambi ®), e tezacaftor/ivacaftor (SymdekoTM).

A proteína CFTR controla o fluxo adequado de água e cloreto para dentro e fora das células que revestem os pulmões e outros órgãos. Em pessoas com FC, as mutações no gene CFTR causam a produção de uma proteína defeituosa ou na ausência de produção tal situação leva ao acúmulo de muco espesso e viscoso, que pode acarretar infecções nos pulmões, lesões no pâncreas e  problemas em outros órgãos do corpo.

O vídeo abaixo mostra o que acontece quando a proteína CFTR funciona normalmente nos pulmões – os cílios movimentam o muco e os germes para fora das vias aéreas – e o que acontece quando a proteína não funciona.

Em pessoas com determinadas mutações, os moduladores da CFTR ajudam a proteína defeituosa a se mover pela  superfície da célula e funcionar corretamente. Para alguns, o problema está apenas na superfície celular, onde a proteína defeituosa impede o fluxo de água e cloreto. Por exemplo, em pessoas com mutações gating, a porta para o canal de cloreto na superfície celular está fechada.

O ivacaftor, um modulador da CFTR, ajuda pessoas com FC que têm mutações gating, porque liga-se à proteína defeituosa na superfície celular e abre o canal de cloreto (mantém a porta aberta) de forma que o cloreto pode fluir, regulando a quantidade de água na superfície da célula. O vídeo abaixo mostra como isso acontece em pessoas com a mutação G551D gating.

Lumacaftor/ivacaftor é uma terapia combinada que funciona em pessoas com duas cópias da mutação F508del.  É um modulador conhecido como corretor, pois ele ajuda a proteína CFTR a ficar no formato correto, mover-se para a superfície celular, e permanecer ali por mais tempo. Mas mesmo com Lumacaftor, apenas uma  parte da proteína CFTR atinge a superfície celular e essas proteínas não conseguem abertura suficiente para permitir que o cloreto passe pela membrana celular. Por isso, caso o corretor seja usado junto com um potencializador – como ivacaftor – o acesso à proteína será aberto e o cloreto passará de forma adequada, reduzindo, assim, os sintomas da FC.

Tezacaftor/ivacaftor é outra opção de tratamento para pessoas com duas cópias da mutação F508del, que não são indicadas para tomar lumacaftor/ivacaftor. Ele é  outro corretor que age da mesma maneira que lumacaftor, mas a combinação tezacaftor/lumacaftor parece não causar o aperto no peito e as interações medicamentosas causadas por lumacaftor/ivacaftor. Além disso, tezacaftor/lumacaftor também está aprovado para pessoas com uma única cópia de uma das 26 mutações específicas .

Quem pode tomar esses medicamentos?

As terapias abaixo estão aprovadas para as seguintes mutações específicas:

Ivacaftor

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lumacaftor/Ivacaftor

A terapia combinada de lumacaftor/ivacaftor é indicada para pessoas com idade de 6 anos ou mais e que têm duas cópias da mutação F508del, a mais comum na FC. 

 

 

 


Tezacaftor/Ivacaftor

Tezacaftor/ivacaftor está aprovado para pessoas com FC com idades de 12 anos ou mais, que tenham duas cópias da mutação F508del ou tenham  uma cópia única de uma das seguintes 26 mutações específicas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma vez que esses medicamentos são voltados a pessoas com mutações específicas da FC, eles não funcionarão caso você não tenha uma ou mais dessas mutações. A primeira coisa a fazer para saber se ivacaftor, lumacaftor/ivacaftor ou tezacaftor/ivacaftor funcionará no seu caso, é descobrir quais são as suas mutações Converse com sua equipe de saúde sobre a possibilidade de realizar o exame genético.

Há outros potenciais moduladores da CFTR em desenvolvimento que se ocuparão da causa subjacente da doença em pessoas com outras mutações da FC.

Como devem ser administrados?

Sua equipe de cuidados da FC dará as informações necessárias para tomar os moduladores da CFTR como parte de seu plano de tratamento diário. As instruções podem ser diferentes para cada pessoa.  A dosagem específica para você dependerá de outros medicamentos que você esteja tomando, de suas necessidades de saúde, e de situações pessoais.

As recomendações gerais de dosagem são:

Para ivacaftor, em geral a dose para adultos e crianças, com idade de 6 anos ou mais, é tomar um comprimido de 150 mg por via oral a cada 12 horas junto com alimentos que contenham gordura, como ovos, abacate, nozes (oleaginosas), manteiga e manteiga de amendoim. Para crianças com idades entre 2 e 5 a quantidade do medicamento será determinada de acordo  no peso corporal do paciente. Em geral, para as crianças mais novas o medicamento vem em uma embalagem especial, e poderá ser misturado com um alimento mole ou líquido, e tomado com alimentos que contenham gordura.

Para lumacaftor/ivacaftor, em geral a dose para pessoas com idade de 6 anos ou mais é de dois comprimidos a cada 12 horas com alimentos que contenham gordura.

Para tezacaftor/ivacaftor, pessoas com idade de 12 anos ou mais tomam um comprimido de tezacaftor/ivacaftor com alimentos que contenham gordura pela manhã e outro pela noite, e, cerca de 12 horas mais tarde.

O que devo esperar após de tomar a medicação?

Os efeitos dos moduladores da CFTR duram apenas enquanto o medicamento estiver em seu organismo. Portanto, você precisa tomar a medicação a cada 12 horas, ou conforme a orientação de sua equipe de cuidados.

Qualquer medicamento pode causar efeitos colaterais. Quando estiver conversando sobre os  novos medicamentos ou alterações nas doses de medicamentos que já estiver tomando, pergunte à sua equipe de cuidados sobre:

Informe sua equipe de cuidados caso sinta qualquer efeito colateral que o incomode ou que torne difícil continuar tomando o medicamento. A equipe de cuidados pode ajudá-lo a lidar com os efeitos colaterais ou ajustar seu plano de tratamento.

Efeitos colaterais comuns de ivacaftor:

Eeitos colaterais comuns de lumacaftor/ivacaftor:

Efeitos colaterais comuns de tezacaftor/ivacaftor:

Fonte: https://www.cff.org/Life-With-CF/Treatments-and-Therapies/Medications/CFTR-Modulator-Therapies/

Traduzido por Vera Carvalho, voluntária de tradução para o Instituto Unidos pela Vida. Vera é tradutora profissional com especialidade na área científica ([email protected]).

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui