Orkambi pode ser mais efetivo em portadores de Fibrose Cística com vias aéreas inflamadas

Categoria: Coluna Científica - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 25 de março de 2019

É possível que os compostos lumacaftor e ivacaftor, que fazem parte da constituição do Orkambi, a nova terapia para Fibrose Cística (FC), sejam ainda mais efetivos em pessoas com as vias aéreas inflamadas. Esse foi o resultado demonstrado pela pesquisa “O ambiente das vias aéreas na Fibrose Cística melhora o resgate do F508del em um modelo pré-clínico”, publicada na European Respiratory Journal.

Além disso, por meio da simulação das vias aéreas inflamadas de pessoas  com FC no laboratório, os pesquisadores também descobriram um novo modelo pré-clínico para estudar a eficácia das novas terapias moduladoras da CFTR (a proteína defeituosa na FC) disponíveis, antes de avançar para os estudos clínicos. 

Ao longo da última década, surgiu um novo grupo de terapias para FC,  chamadas de terapias moduladoras da proteína reguladora da condutância transmembrana (CFTR). Esses tratamentos atuam para garantir a  restauração da função da proteína CFTR, no canal iônico em portadores de FC.

Hoje, existem três moduladores da CFTR aprovados pela Food and Drug Administration dos Estados Unidos, para o tratamento da Fibrose Cística. Cada modulador atua em um tipo específico de mutação CFTR, por isso, é importante conhecer sua mutação e saber qual medicamento pode ser utilizado no seu caso. Eles são: Orkambi, Kalydeco (ivacaftor) e Symdeko (tezacaftor/ivacaftor e ivacaftor). De acordo com os pesquisadores, os estudos clínicos que testam Orkambi em pessoas com FC e mutação CFTR F508del, a mais comum na doença, demonstraram apenas melhoras médias e  modestas na função pulmonar, de forma similar às das terapias convencionais. 

Reconhecendo a necessidade de entender o que influencia a efetividade dos moduladores da CFTR, como o Orkambi, uma equipe de pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade da Carolina do Norte investigou se a eficácia do lumacaftor e ivacaftor mudava  conforme as condições de inflamação nas vias aéreas.

Com base em estudos anteriores, os pesquisadores tiveram motivos  para acreditar que as vias aéreas inflamadas aumentariam os benefícios terapêuticos das combinações dos tratamentos com Orkambi.

Para reproduzir as vias aéreas inflamadas das pessoas com FC no laboratório, os pesquisadores colocaram  as células das vias aéreas bronquiais de participantes com mutações F508del junto com o material coletado das vias aéreas de pulmões retirados de pessoas com FC. Esse material continha múltiplas moléculas infecciosas e inflamatórias liberadas de pulmões inflamados.

Os pesquisadores descobriram que lumacaftor e ivacaftor eram mais efetivos em corrigir os defeitos na CFTR quando as células das vias aéreas da FC estavam inflamadas.

“Encontramos que em  condições de inflamação, havia mais CFTR funcional disponível para hidratar as vias aéreas na FC”, revelou a Dra. Carla Ribeiro, professora na Escola de Medicina da UNC e autora sênior do estudo.

De acordo com a Dra. Martina Gentzsch, também professora da UNC e primeira autora do estudo, esse é um achado inesperado. “Ficamos surpresas em saber que a efetividade dos moduladores da CFTR pode depender do estado das vias aéreas, inflamadas ou não.”

A análise dos resultados  moleculares sugeriu que o meio inflamatório nas vias aéreas da FC não estava levando à produção de mais proteína CFTR, mas em vez disso ajudava a estabilizar a proteína defeituosa e evitar a sua degradação dentro das células.

Considerando que  o aumento da inflamação ocorre precocemente na  doença pulmonar em FC, mesmo as pessoas com doença leve podem experimentar um aumento da efetividade do tratamento.

Além disso, como as pessoas com FC podem estar recebendo terapia anti-inflamatória, os pesquisadores e a equipe de saúde “precisam considerar a interferência dos medicamentos anti-inflamatórios na atuação dos moduladores da CFTR em estudos futuros”, disse Ribeiro.

De acordo com a equipe, os próximos estudos devem investigar  a relação entre o estado inflamatório das vias aéreas das pessoas com FC e a eficácia das terapias combinadas de Orkambi ou Symdeko.

Além disso, a equipe ressaltou que à medida que mais combinações de moduladores da CFTR tornam-se disponíveis, a avaliação pré-clínica da eficácia sob condições que simulam as vias aéreas  inflamadas pode ser decisiva para a otimização de terapias para Fibrose Cística.

 

Fonte: PENA, A. Orkambi May Be More Effective in CF Patients with Inflamed Airways, Study Suggests. Cystic Fibrosis News Today. 17 de outubro de 2018. Disponível em:  https://cysticfibrosisnewstoday.com/2018/10/17/cf-therapy-orkambi-potentially-more-effective-inflamed-airways-study/.

Traduzido por Vera Carvalho, voluntária de tradução para o Instituto Unidos pela Vida. Vera é tradutora profissional com especialidade na área científica (carvalho.vera.carvalho@gmail.com).

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui