Depoimento – Patricia de Andrade Machado

Categoria: Depoimentos - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 08 de julho de 2019

Desde de pequena, eu sofri muito indo para os hospitais para realizar tratamento para uma suposta bronquite, sinusite, pneumonia e não para tratar, de fato, a doença que eu tinha, mas que ainda era desconhecida. Eu lembro até hoje o quanto eu vivi muito mais em hospitais do que em casa ou na escola. 

Dos 22 até os 25 anos eu fiquei muito debilitada e fui a luta para descobrir o que eu tinha de verdade e, enfim, aos 25 anos eu finalmente descobri que tenho Fibrose Cística e pude começar o tratamento para a doença. Desde então eu melhorei muito, ganhei peso e, hoje, quem me vê não diz que tenho uma doença rara. Eu acredito que se não fosse pela minha força de vontade e de lutar para viver, hoje não estaria mais aqui. Essa é uma luta que nunca termina e que, a cada ano, traz uma novidade. 

Escrevi esse depoimento durante a segunda internação em 2019. Internei em março para fazer um tratamento de antibióticos, tratar uma pneumonia e combater duas queridas bactérias que insistem em ficar no meu pulmãozinho, mas ao fazer os exames, constou uma infecção mais séria. A opção para os médicos é a retirada de um dos glóbulos do pulmão esquerdo por conta das bronquiectasia, que aumentaram e estão me causando mais infecções. Então, para não piorar o pulmão direito, a opção é fazer essa retirada e melhorar minha função pulmonar. Fiz esse tratamento, voltei para casa e, enfim, terminei meu semestre da faculdade para voltar agora em julho e fazer a cirurgia.

Agora, novamente internada, estou há 18 dias fazendo exames pré operatórios e um ciclo de antibióticos para conter a infecção e poder fazer a cirurgia, que está marcada para ser realizada em breve. Muitos estão me perguntando como eu estou com relação a isso e eu digo que não é o que eu queria, mas estou enfrentando bem, pois sei que só será mais uma batalha vencida para logo voltar para a minha rotina. 

Ter que trancar a faculdade é o que me deixa mais triste e parar de trabalhar não é fácil pra mim, pois eu gosto de ter essa rotina movimentada, trabalho, faculdade e estudos. Mas não é isso que irá me impedir de voltar com todas as forças para continuar a lutar contra a doença. Eu tenho uma vida normal, consigo conciliar tudo que eu quero no meu tempo, mas não deixo de fazer as coisas que gosto. Nada será um empecilho para continuar a lutar e viver.

Alguns perguntam “Isso não te entristece?”. Na realidade, se eu disser que não, é mentira, pois sou um ser humano e nunca escolhi isso que vem acontecendo comigo. Mas, descobrir o que está me causando tanta infecção e dores me dá mais forças para lutar e nunca desistir. Só será mais uma fase que irá passar rápido e vou lutar para viver muito ainda.

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui