WTG2019: Alan Philippsen participa do Mundial para Transplantados de Newcastle e faz história como o primeiro atleta brasileiro com Fibrose Cística a participar da competição

Categoria: Equipe de Fibra - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 05 de setembro de 2019

“Eu larguei a faculdade de Educação Física porque não tinha forças para caminhar do estacionamento até a sala de aula”. Foi com essa frase que o Alan Philippsen embarcou no voo de volta para o Brasil após fazer história no Mundial para Atletas Transplantados de Newcastle. O atleta da Equipe de Fibra, projeto que faz parte do programa de incentivo à atividade física do Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística, foi o primeiro atleta brasileiro com Fibrose Cística e transplantado pulmonar a participar da competição internacional.

O Mundial foi realizado de 17 à 23 de agosto de 2019, na cidade de Newcastle, na Inglaterra. O Alan, diagnosticado com Fibrose Cística aos 3 anos de idade, e que completa 2 anos de transplante pulmonar em setembro deste ano, esteve presente em duas provas da competição de atletismo: 100 metros e 200 metros. Nas duas ocasiões o nível foi altíssimo. Foram 16 atletas, de 18 a 29 anos, vindos do mundo todo em busca de uma medalha e, principalmente, da celebração da vida no Mundial.

Nos 100 metros, Alan conquistou o 4º lugar com o tempo de 12,37 segundos e a diferença de apenas 16 centésimos de segundos para o 3º colocado. Já nos 200 metros, nosso atleta de fibra ficou em 5º lugar com 25,9 segundos de prova. Dentre os 16 competidores, Alan era o único transplantado pulmonar.

“Não há dúvidas de que o pulmão faz muito mais diferença em uma prova de velocidade e explosão como essa, mas o sentimento é de vitória e de dever cumprido. Agradeço todas as pessoas que estiveram do meu lado e me ajudaram a chegar aqui, desde minha família, namorada, treinadores e o Instituto Unidos pela Vida, que me deu todo o apoio necessário nessa jornada. As diferenças tão pequenas para os tempos que conquistaram o pódio só me deram mais motivação para focar ainda mais nos treinos e chegar forte nas próximas competições que estão por vir”, ressaltou Alan, que passou de um menino que não conseguia caminhar do estacionamento até a sala de aula, para o grupo dos 10 atletas transplantados mais rápidos do mundo.

Apesar de toda a representatividade que um pódio e a medalha podem ter, a superação de viver bem, praticar esportes e participar de uma competição internacional de alto nível, vale mais do que qualquer ouro, prata ou bronze.

Ser o primeiro atleta brasileiro com Fibrose Cística transplantado a participar da competição foi um marco histórico para o Time Brasil, para a Equipe de Fibra e para todos que acompanham de perto o esforço e garra dos nossos guerreiros de fibra. Alan, nosso sentimento é apenas um: orgulho! Você é exemplo para todos nós!

O Alan integrou o Time Brasil de Atletas Transplantados em Newcastle, equipe que contou com a participação histórica de 19 atletas transplantados e 3 doadores no Mundial. No total, os brasileiros conquistaram 17 medalhas: 1 de ouro, 4 de prata e 12 de bronze. 

Entre os dias 21 e 24 de novembro, será realizada a primeira a edição dos Jogos Brasileiros para Transplantados em Curitiba/PR. O Unidos pela Vida é um dos apoiadores da competição inédita no país. Clique aqui para saber mais sobre o evento.

Por Kamila Vintureli, gestora de comunicação do Unidos pela Vida e jornalista responsável pela cobertura dos Jogos Mundiais para Transplantados em Newcastle

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui