Índice de limpeza pulmonar pode prever danos pulmonares em crianças

Comunicação IUPV - 28/11/2022 06:52

Uma medida não invasiva de função pulmonar, chamada Índice de Limpeza Pulmonar (ILP), está associada ao grau de dano pulmonar a longo prazo em crianças com fibrose cística, de acordo com um estudo recente. 

O ILP pode ser usado para monitorar a progressão da doença pulmonar em crianças com fibrose cística e pode ajudar os médicos a intervirem para a prevenção de danos pulmonares irreversíveis tardiamente, sugeriu o grupo de pesquisadores. 

O estudo chamado “Índice de Limpeza Pulmonar a longo prazo e sua associação com danos pulmonares estruturais em crianças com fibrose cística”, foi publicado na revista científica Thorax

Embora os sintomas pulmonares em crianças com fibrose cística ainda sejam brandos, o dano pulmonar estrutural irreversível é geralmente subestimado e pode progredir mesmo quando não há sintomas. Assim, é importante monitorar esse dano ao longo do tempo para rastrear a progressão da doença.

Lavagens múltiplas é uma técnica não invasiva que pode medir repetidamente a função pulmonar em pacientes com fibrose cística de todas as idades. Os valores de ILP são um dos resultados do teste e podem refletir no quanto de ventilação é necessário para limpar as vias pulmonares. Quanto maior o valor de ILP, pior é a função pulmonar. 

Sobre o estudo

Para entender melhor o ILP como preditor de dano pulmonar na fibrose cística, os pesquisadores da Suécia compararam os resultados do ILP com os da tomografia em 75 crianças com idade de 0 a 17 anos, que foram recrutadas da ala pediátrica de um Centro de Referência. Os valores de ILP de crianças saudáveis da Suécia e do Reino Unido serviram como grupo controle. 

Em crianças saudáveis, os valores de ILP caíram 0,12 unidades por ano até o sexto ano de vida. Após essa idade, não foi observada nenhuma outra queda dos valores. Em crianças com fibrose cística, os valores de ILP aumentaram 0,03 unidades por ano, mas essa progressão não foi estatisticamente significativa. 

“Em nossa clínica, um aumento nos valores de ILP foi geralmente seguido de uma intervenção, com o objetivo de restaurar os valores basais de ILP daquele paciente, o que pode ser uma possível explicação do porque não observamos uma progressão nos valores de ILP no nosso grupo de estudo”, disseram os pesquisadores. 

O LCI aumentou progressivamente entre as crianças que nasceram entre 1990 e1999 – com uma média de 0,07 unidades por ano –, mas não naqueles que nasceram após o ano 2000, o que pode refletir uma melhora nos cuidados com a fibrose cística ao longo do tempo, de acordo com os pesquisadores. 

O ILP também aumentou progressivamente entre as meninas, que mostraram uma média de 0,11 unidades por ano. Como estudos anteriores sugeriram uma piora na função pulmonar em meninas com fibrose cística, essa relação requer mais estudos. 

Uma associação foi observada entre os valores de ILP e a progressão do dano pulmonar, medidas pela tomografia de tórax, durante a infância. Especificamente, o aumento dos valores do ILP foi associado a uma piora na doença e a bronquiectasias – engrossamento dos tubos que carregam o ar até os pulmões devido a inflamação e/ou infecção. 

“Uma média de ILP dentro dos valores normais durante a infância correspondeu a uma menor extensão e progressão da doença, enquanto maiores médias de ILP resultaram em maior dano pulmonar e maiores taxas de progressão da doença”, escreveram os pesquisadores. “Uma maior média de ILP pode refletir maior grau de inflamação das vias aéreas por um período maior de tempo, o que poderia explicar a relação entre maiores médias de ILP e uma taxa de progressão mais rápida da doença pulmonar na fibrose cística.”

Essa associação foi forte quando consideramos mudanças nos valores de ILP por longos períodos, ao invés de mostrar somente a medida mais recente, eles disseram. Isso acontece pois uma medida única pode flutuar aleatoriamente como resultado de uma infecção ou intervenção. 

“Nós acreditamos que uma ILP alta e estável poderia ser considerada como um fator de risco alto para a progressão de doença pulmonar, e assim, poderiam-se fazer intervenções com o objetivo de diminuir o índice. Mantendo o ILP o menor possível na infância e em idade pré-escolar, nós limitamos a progressão da doença pulmonar e preservamos a função pulmonar desses pacientes em idade escolar”, sugeriram os pesquisadores. 

“Nossos resultados suportam o uso clínico de exames regulares de avaliação do pulmão para o cálculo do ILP em crianças com fibrose cística com o objetivo de manter ou chegar aos menores índices possíveis”, eles concluíram. 

Fonte: https://cysticfibrosisnewstoday.com/2022/04/04/lung-clearance-index-over-time-predicts-lung-damage-children-cf/. Acesso em 06 de junho de 2022. 

Traduzido por: Mariana Camargo, biomédica, PhD e mãe da Sofia, diagnosticada com fibrose cística.

Revisão: Verônica Stasiak Bednarczuk de Oliveira, fundadora e diretora executiva do Unidos pela Vida, diagnosticada com fibrose cística aos 23 anos. Psicóloga, especialista em análise do comportamento, tem MBA em Direitos Sociais e Políticas Públicas e Mestranda em Ciências Farmacêuticas com ênfase em Avaliação de Tecnologias de Saúde pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Quer fortalecer o trabalho realizado pelo Unidos pela Vida? Clique aqui e escolha a melhor forma de fazer uma doação. 

Nota importante: As informações aqui contidas têm cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e/ou o tratamento médico. Em caso de dúvidas, fale com seu médico.

Fale conosco