Anna-McVey-Tyson-Kids-Selfie-RectangleDizem que são necessárias muitas pessoas para criar uma criança, e isso é verdade. Especialmente quando se é mãe/pai solteiro, viúvo ou divorciado de duas crianças que também têm fibrose cística. Ser uma mãe sozinha com FC pode ser loucura, mas aceitar a ideia de que você precisa pedir ajuda pode facilitar muito.

Por Anna McVey-Tyson

 

A paternidade pode ser difícil; ser uma mãe ou pai sozinho é um desafio extra. Adicione-se a fibrose cística nessa mistura e a paternidade torna-se ainda mais interessante. Esta é a minha realidade: sou uma mãe sozinha de duas crianças que também têm FC.

Não, não é uma vida fácil. Contudo, eu não trocaria esta vida por nada. Preciso equilibrar as necessidades sociais da minha filha de sete anos, os acessos de fúria do meu filho de três anos, e a rotina de cuidados com a minha saúde. Embora a vida fique caótica às vezes, os momentos em que meus filhos me dizem “mamãe, eu te amo” faz tudo isso valer a pena.

Como eu faço tudo isso funcionar? Apesar de ser mãe sozinha, tenho um bom sistema de apoio que torna a minha vida um pouco mais fácil. Minha irmã mora comigo, e os amigos tomam conta das crianças quando podem. Se me sinto mais fragilizada ou sobrecarregada, minha mãe vem para ficar comigo, e minha filha ajuda com os afazeres domésticos. Eu também tenho uma relação razoavelmente boa com meu ex-marido e sua parceira, e eles dividem a paternidade dos nossos filhos. Ou seja, eu não faço tudo sozinha. 

Embora eu reconheça agora, inicialmente não foi fácil admitir que não consigo fazer tudo sozinha. Isso porque sou o tipo de pessoa que deseja obstinadamente dar conta de tudo. Além disso, logo após o fim do meu casamento, eu acreditava que seria um fracasso se não conseguisse a autossuficiência. Mas rapidamente aprendi o quanto essa aspiração não era realista. E embora tivesse sido difícil pedir ajuda no início, isso se tornou mais fácil com as experiências pelas quais passei ao longo do tempo. Foi o que salvou a minha saúde física e mental, e estou muito bem com essa opção.

Anna-McVey-Tyson-Family-CollageA fibrose cística é uma doença absurda e imprevisível, por isso é essencial ter um bom grupo de apoio para ajudar quando você estiver muito doente para exercer a maternidade/paternidade de maneira independente. Aprendi que posso ser uma boa mãe para meus filhos, mas também ter alguém para me substituir quando necessário. Não há nada de errado em chamar os amigos, a família ou a comunidade para ajudar. Isso não me transforma em um fracasso. Em vez disso, significa que estou fazendo o meu melhor. Ser saudável permite que eu seja a melhor mãe que posso ser. Não importa o quanto você deseje fazer tudo por conta própria, pedir a um amigo para cuidar dos seus filhos para que você possa tirar uma soneca, ou colocar um filme para distrair seus filhos enquanto faz um tratamento pode ajudar você a exercer a maternidade da melhor forma levando em conta suas capacidades.

Se você também é pai ou mãe sozinha com FC, quero incentivar você afirmando que, embora pareça loucura, a tarefa é plenamente possível, e que pedindo ajuda tudo se torna mais fácil.

Anna McVey-Tyson – Adulta com FC: Anna é Bacharel em Ciências na Defesa de Pacientes, além de voluntária no National Jewish Health (Saúde Nacional Judaica) como presidente do Conselho Consultivo de Pacientes, e representante dos pacientes para a CF Quality Improvement Team (Equipe de Melhora da Qualidade na FC). Ela também participa na Foundation’s Community Voice (Voz Comunitária da Fundação). Quando não está empregando seu tempo na National Jewish ou na CF Foundation, Anna toma um café, constrói relacionamentos e desfruta seu tempo com os dois filhos, Lily e Liam.

Fonte: https://www.cff.org/CF-Community-Blog/Posts/2016/How-I-Balance-Life-as-a-Single-Parent-With-CF/

Traduzido por Vera Carvalho: Voluntária de Tradução de Textos do Instituto Unidos pela Vida. Vera é tradutora profissional há treze anos, com especialidade em textos acadêmicos e científicos.

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Compartilhe!

Nenhum comentário

Você pode enviar o primeiro comentário.

Deixe um comentário

Por favor, digite os caracteres desta imagem na caixa de entrada

Digite os caracteres para enviar seu comentário