Fundadora do Unidos pela Vida recebe Prêmio Pablo Neruda de Direitos Humanos

Categoria: Eventos - Postador por: Instituto Unidos pela Vida - Data: 09 de dezembro de 2016

31491556586_632549a199_z

Prêmio foi entregue na noite da última quarta-feira (07), em sessão solene realizada na Câmara Municipal de Curitiba
O amor e trabalho dedicados às pessoas com Fibrose Cística pela fundadora e diretora do Instituto Unidos pela Vida, Verônica Stasiak Bednarczuk de Oliveira, foram reconhecidos publicamente, no dia 07 de dezembro, no plenário da Câmara Municipal de Curitiba, por meio da entrega do Prêmio Pablo Neruda de Direitos Humanos.
Instituído pela lei municipal 11.258/2004, o prêmio é concedido a cada dois anos a pessoas ou entidades não governamentais que tenham se destacado pelo trabalho em prol da liberdade ideológica, de credo religioso, de opinião, pela democracia e pela justiça social. A homenagem, feita por proposição do vereador Jonny Stica, vem coroar o aniversário de 5 anos do Instituto Unidos pela Vida, demonstrando que as ações desenvolvidas até aqui, com seriedade e comprometimento, de fato são significativas para a sociedade.
Confira o depoimento publicado pela nossa diretora em sua página pessoal no facebook: “E nessa noite, depois de uma semana insana, com um30688673824_5d4fce4a02_z internamento para pulsoterapia previsto pra começar amanhã cedo, paramos os relógios pra celebrar. Recebi da Câmara Municipal de Curitiba o Prêmio Pablo Neruda de Direitos Humanos, sob aplausos e lágrimas dessas pessoas que tanto amo, e que representam outras tantas que amo também, e que me fazem forte a cada dia, deixando tudo leve e feliz! Vamos em frente, sempre feliz, com força, fé e coragem! Obrigada mundo! Obrigada, amigo Giovani!”
Na solenidade, a vereadora Carla Pimentel, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, defendeu a convergência de esforços para que todas as pessoas sejam vistas “com amor”. “Nos unirmos com pessoas diferentes, mas que fazem parte de uma mesma cidade, da proteção de uma mesma comunidade. Em que o respeito é a tônica máxima”, disse.
No encerramento da sessão, o primeiro secretário da Câmara, vereador Pedro Paulo, reverenciou o poeta chileno Pablo Neruda, “defensor da democracia”, que morreu durante o período da ditadura militar no Chile de Augusto Pinochet. “Que assim como o poeta falava em mantermos os olhos cheios de amor, que vocês continuem olhando as pessoas procurando garantir seus direitos e que qualquer violação deles seja motivo para indignação de todos. Esse ano, em especial, nesse contexto conturbado de crise, de intolerância, agradecemos o trabalho de cada um”, disse.
*Com citações da matéria publicada no site da Câmara Municipal de Curitiba.
Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui