Nutrição e Fibrose Cística: 5 dicas para se ter mais saúde e qualidade de vida

Categoria: Notícias - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 30 de março de 2020

Nutrição e saúde caminham lado a lado. Seguir uma alimentação equilibrada e manter o estado nutricional são fatores importantes para se estar sempre saudável. Para quem tem Fibrose Cística, o acompanhamento nutricional é fundamental pois ajuda na estabilização da função pulmonar, melhora o estado clínico geral e diminui o índice de desnutrição.

Muitas pessoas diagnosticadas com Fibrose Cística têm insuficiência pancreática, situação que compromete o aproveitamento nutricional dos alimentos. Nesses casos, os principais sintomas apresentados são diarreia e dificuldade para ganhar peso e estatura e, geralmente, é recomendada a terapia de reposição enzimática para o tratamento.

Para lhe ajudar a ter mais saúde e qualidade de vida, a equipe do Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística, preparou 5 dicas que envolvem aspectos nutricionais e que podem lhe ajudar a se manter saudável. Confira!

1. Siga uma dieta hipercalórica e hipergordurosa

Por conta da insuficiência pancreática, muitas pessoas com Fibrose Cística precisam ingerir um número maior de calorias do que as pessoas sem a doença. Por isso, caso seja recomendado pela equipe médica, seguir uma dieta hipercalórica e hipergordurosa ajuda na missão de ingerir calorias suficientes durante o dia. 

2. Fuja dos alimentos processados e fast foods!

Seguir uma dieta hipercalórica e hipergordurosa não é sinônimo de ingerir apenas alimentos processados, gordurosos ou os famosos fast foods. O ideal é sempre optar por uma alimentação rica em em calorias, proteínas, gorduras e formada por alimentos frescos e saudáveis. Dessa forma, além de conseguir ganhar mais peso, você também ganhará saúde nutricional.

3. Faça o uso correto das enzimas

Quando a suplementação com enzimas é indicada, a pessoa com Fibrose Cística deve ter muito cuidado para nunca esquecer de utilizá-la antes das refeições e na quantidade exata recomendada pela equipe médica. Nos casos em que a oferta de enzimas é menor do que o valor recomendado, a consequência é a dificuldade para ganhar peso. Além disso, em situações em que é feito o uso excessivo de enzimas, complicações intestinais podem acontecer. Para que haja um equilíbrio e o uso de enzimas na quantidade correta, recomendamos sempre que você converse com seu médico para que as doses sejam ajustadas de acordo com a sua necessidade individual.

4. Cuide da reposição de sal!

Quem tem Fibrose Cística possui mais sal no suor quando comparado com as pessoas sem a doença, situação que faz com que o suor tenha maior concentração de sal do que o normal, motivo pelo qual a patologia também é conhecida como Doença do Beijo Salgado. Por conta disso, a suplementação de sal deve ser realizada para repor as perdas ocorridas por meio do suor, principalmente durante o verão, onde essa perda é ainda mais acentuada. Recomenda-se principalmente a ingestão de soro caseiro ou industrializado, ingestão de bebida isotônicas e até mesmo água de coco.

5. Consulte um nutricionista!

Realize o acompanhamento com um nutricionista para que o seu estado nutricional seja monitorado e ele verifique se todas as recomendações estão sendo seguidas e trazendo os resultados esperados. Na maioria dos casos, recomenda-se que as consultas sejam realizadas a cada três meses, mas, dependendo do paciente, o acompanhamento deve ser feito mensalmente.

Com essas dicas a equipe do Instituto Unidos pela Vida espera lhe ajudar a ter mais saúde e qualidade de vida, mas não se esqueça: sempre consulte o seu médico para saber o que funcionará melhor para o seu caso. Com ajuda profissional você poderá tirar todas as suas dúvidas e ter ainda mais dicas sobre como se manter cada dia mais saudável!

Referências:

Palchetti, C.Z ; MAURI, J. F. Manual de nutrição para pacientes fibrocísticos. 2009 (Manual).

TAULOIS, M. Nutrição Para Vida. Vertex. Equipe Fibrose Cística – Serviço de Pneumologia – PPC – UERJ.

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui