Depoimento – Adson Rafael Queiroz

Categoria: Depoimentos - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 15 de outubro de 2019

Conheça a história do Adson Rafael Queiroz. Ele tem 30 anos, foi diagnosticado com Fibrose Cística com 2 anos e mora na cidade de Carnaíba, Pernambuco. Antes de receber a notícia, a família do Adson não conhecia nada sobre a doença.

“Após a confirmação do diagnóstico, os médicos perguntaram aos meus pais se eles tinham outros filhos. Quando minha mãe respondeu que tinha mais dois filhos eles solicitaram a realização do Teste do Suor nos meus irmãos também. O exame confirmou que meu irmão Allyson também tinha Fibrose Cística e, infelizmente, ele acabou falecendo em 2010. Minha irmã Amanda também realizou o exame, que deu negativo. Na época meus pais ficaram muito desanimados ao receber a notícia, pois os médicos diziam que nós só viveríamos até os 10 anos, previsão que, felizmente, não aconteceu”, relembrou Adson.

Antes do diagnóstico, os principais sintomas apresentados pelo Adson eram febre alta e muita dor abdominal. Os profissionais que o acompanhavam suspeitavam que os sinais indicavam Meningite e o encaminharam para realizar o tratamento para essa doença em Recife. Após o diagnóstico da Fibrose Cística finalmente chegar, Adson iniciou o tratamento correto imediatamente.

“No início o tratamento foi difícil pois alguns medicamentos só podiam ser comprados em outros países, como Estados Unidos. Na época meu pai trocava a moeda e fazia a compra por meio de um amigo que morava lá. Hoje em dia tudo está mais fácil. No geral, faço uso de diversos medicamentos, nebulização e insulina, pois me tornei diabético em 2009. Graças a Deus eu nunca precisei ficar internado por complicações pulmonares ou tive que usar oxigênio. Os procedimentos não atrapalham o meu dia a dia e quando viajo sempre me organizo para levar todos os medicamentos e seguir o tratamento normalmente”, relatou.

Adson é casado há 5 anos e não tem filhos. É graduado em Letras e pós-graduado em Literatura, Língua e Linguagem, além de ter formação como técnico em Administração. Em 2012, Adson se candidatou ao cargo de vereador de sua cidade e ficou como suplente.

“Sou compositor e meu grande hobby é escrever músicas. Gosto tanto que sou sócio da União Brasileira de Compositores (UBC). Tenho muitos planos para o futuro e o principal deles é realizar um tratamento para poder ter filhos. Também pretendo me especializar e seguir a carreira de compositor. Meu sonho é ver minhas músicas fazendo sucesso por todo o Brasil. Que Deus permita que eu tenha saúde para realizar tudo isso”, disse Adson.

A rotina de quem tem Fibrose Cística pode ser corrida e bem diferente do dia a dia de uma pessoa que não tem a doença. Por isso, o suporte familiar e de amigos é extremamente importante para a adesão ao tratamento e melhora na qualidade de vida. No caso do Adson, sua família é um grande alicerce.

“Sou muito grato ao meu pai Antônio, minha mãe Rosimar e minha irmã Amanda por tudo que fizeram por mim. Sou muito feliz ao lado da minha esposa Amanda e gratidão é o sentimento que resume a minha vida. Sinto muita falta do meu irmão Allyson, que faleceu aos 22 anos por problemas pulmonares. Nós tínhamos uma ligação muito forte, pois além do sangue, também dividimos uma doença e lutamos juntos por muito tempo. Quero dizer para todas as pessoas com Fibrose Cística que, apesar dos danos que a doença possa causar ao nosso corpo e até mesmo à nossa mente, com o avanço da ciência, temos a possibilidade de conseguir tratamentos mais eficientes do que tínhamos até pouco tempo atrás. Com eles, muitas vidas são salvas e muitos de nós temos mais qualidade de vida. Há 28 anos, quando fui diagnosticado com Fibrose Cística, tudo era mais difícil. Os medicamentos não estavam disponíveis no Brasil, muitos médicos não tinham conhecimento sobre a doença, e também não contávamos com o apoio do Instituto Unidos pela Vida, que nos enche de informações e testemunhos que nos ajudam e inspiram diariamente. Finalizo meu depoimento com uma frase de minha autoria, presente na canção que fiz para todos nós, pacientes, familiares, médicos e especialistas ‘Somos uma família de fibra e valorizamos o ar que nos faz sobreviver’. Então viva”, finalizou Adson.

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui