Transplantei: o SIM de uma família mudou a vida do Lucas Rocha

Categoria: Central de Conteúdo - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 08 de janeiro de 2021

O Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística compartilha agora a linda história de força e superação do Lucas Rocha. Ele é natural de Rondonópolis/MT, mas mora na cidade de São Paulo há mais de 15 anos. O Lucas foi diagnosticado com fibrose cística quando tinha um ano e meio, por meio do Teste do Suor.

Devido a complicações causadas pela doença, em 2018, o Lucas passou a utilizar oxigênio 24 horas por dia e entrou para a lista de transplante. Foram longos e esperançosos 12 meses de espera até que ele fosse chamado pela primeira vez para realizar o procedimento. 

“Quando se está na fila para um transplante você passa todos os dias na expectativa de ser chamado e finalmente realizar o procedimento. E no dia 25 de março de 2019 eu fui chamado pela primeira vez, mas infelizmente não deu certo. Foi um momento muito difícil, fiquei muito mal, mas contei com o apoio dos meus amigos e da minha família para superar. Segui em frente porque sempre soube que o meu dia chegaria”, relembrou Lucas.

Preparação

Desde que entrou para a lista de transplante o Lucas iniciou os cuidados e preparação para estar o melhor possível quando o dia chegasse. Ele aumentou a rotina de atividades físicas, começou a realizar fisioterapia respiratória com mais frequência e se dedicou ao máximo para que tudo desse certo.

“A ansiedade nunca tomou conta de mim e resolvi focar nos treinos para estar o melhor possível quando fosse chamado. Buscava me preocupar com o presente, com o agora e me cuidar. Quando fui chamado pela primeira vez e não deu certo foi muito difícil, mas me recuperei e voltei mais forte aos treinamentos e aos cuidados com a minha saúde. Eu queria estar pronto para o próximo chamado, pois sabia que tudo daria certo e eu finalmente conseguiria realizar o transplante”, afirmou Lucas.

O transplante

No dia 25 de outubro de 2019 o Lucas foi chamado. Essa foi a ligação que mudou a sua vida, que fez todos os cuidados e dedicação valerem a pena, que devolveu ao Lucas a chance de respirar sem dificuldades novamente. Nesta segunda chamada, o transplante foi realizado.

“O procedimento começou às 07h da manhã daquele lindo 25 de outubro de 2019. Confesso que não conseguia sentir nada. A ficha caiu apenas quando já estava na sala de cirurgia para realizar o transplante pulmonar. Foram 12 horas de uma cirurgia muito bem sucedida, graças a Deus. O cirurgião disse que nunca tinha visto um coração tão bom quanto o meu, o que sem dúvidas foi resultado da minha dedicação na preparação para o procedimento”, relembrou Lucas.

O transplante pulmonar do Lucas foi realizado no Incor e ele teve a companhia da sua mãe e da sua esposa nos momentos que antecederam o procedimento e após a cirurgia, pessoas que ficaram ao seu lado do começo até o fim, compartilhando muito amor e suporte.

“Minha primeira lembrança ao acordar foi ouvir uma enfermeira escutando Pink Floyd ao fundo. Comecei a dançar com o tubo na boca, tentei cantarolar e os cirurgiões vieram de imediato ver o que estava acontecendo. Quando perceberam que eu estava bem começaram a rir e tiraram o tubo. E foi aí que pude desfrutar da minha primeira respiração após o transplante. Não tem como explicar. Eu apenas chorei, chorei de felicidade, de alegria. Agora minha vida é outra. Defini várias metas e planos e pretendendo cumprir todos eles. Eu me considero um verdadeiro vencedor da vida”, afirmou.

Toda essa emoção e realização só foi possível graças ao SIM de uma família, palavra tão simples, mas que carrega em si um grande significado. Ela deu nova vida ao Lucas!

“Eu sei como é difícil estar na fila para o transplante, mas não podemos desanimar. Sua hora vai chegar, tenho certeza, e você conseguirá realizar o procedimento. Mas não espere transplantar para viver. Você já está vivendo agora. Aproveite! E para todas as pessoas que estão lendo esse depoimento eu peço: seja doador de órgãos! Não leve junto com você o que pode deixar aqui, compartilhar com outras pessoas e salvar vidas. Avise sua família e seja doador”, finalizou Lucas.

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui