Saiba mais sobre o diabetes relacionado à Fibrose Cística (DRFC)

Categoria: Central de Conteúdo - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 02 de outubro de 2020

Todo mundo conhece o diabetes, não é verdade? De maneira resumida, ele se caracteriza pelo excesso de açúcar no sangue e possui diversas variações, sendo as mais comuns a diabetes tipo 1, que acontece quando o pâncreas não consegue produzir insulina e geralmente acomete crianças e pessoas jovens, e o diabetes tipo 2, que atinge com maior frequência pessoas com sobrepeso, obesidade e com idade mais avançada.

Mas você sabia que existe também o diabetes relacionado à Fibrose Cística (DRFC)? Ele é diferente dos dois tipos citados no parágrafo anterior, principalmente no que diz respeito ao seu diagnóstico e formas de tratamento.

De acordo com o Manual de Orientação sobre DRFC, lançado pelo Centro Especializado de Referência em Fibrose Cística do Departamento de Pediatria da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) em 2019, o DRFC atinge cerca de 20% dos adolescentes e entre 40 e 50% dos adultos com Fibrose Cística. 

Por que acontece?

Ainda de acordo com o Manual de Orientação sobre DRFC, assim como a Fibrose Cística pode causar  o acúmulo de muco espesso no pulmão, o acúmulo desse muco no pâncreas também pode acontecer, causando desnutrição e, consequentemente, a diminuição na produção de insulina.

Outro aspecto que pode causar o diabetes relacionado à Fibrose Cística é o uso de medicamentos, em especial os corticoides, para o tratamento de infecções respiratórias. Esse uso faz com que a insulina não consiga abrir a célula para a entrada da glicose, resultando no DRFC.

Quais os sintomas?

Os principais sintomas apresentados pelo diabetes relacionado à Fibrose Cística é o aumento na quantidade de urina, situação também chamada de poliúria, e o aumento da sede no paciente afetado. Apesar de serem considerados sintomas clássicos do DRFC, eles podem passar despercebidos entre as pessoas com Fibrose Cística, pois esses indivíduos, de maneira geral, já consomem muita água e, consequentemente, vão mais ao banheiro. 

Por isso, é preciso ficar atento a outros sintomas também apresentados pelo diabetes relacionado à Fibrose Cística, como perda de peso, piora da função pulmonar, exacerbações pulmonares e cansaço. Além disso, é muito importante que, caso você comece a ter dificuldades para ganhar peso ou comece a perder peso sem motivo aparente, a equipe médica que acompanha o caso deve investigar a presença de diabetes.

Como é feito o diagnóstico do DRFC?

O exame mais comum utilizado para o diagnóstico do diabetes relacionado à Fibrose Cística é o Teste de Tolerância Oral à Glicose (TTOG). Porém, também é possível alcançar o diagnóstico por meio da análise da glicemia em jejum. Se a glicose em jejum for maior ou igual a 126 mg/dL em dois exames, o diagnóstico de diabetes é alcançado.

Como é feito o tratamento?

O tratamento do diabetes relacionado à Fibrose Cística é feito com o uso de insulina, visto que a principal causa do DRFC é a diminuição na produção de insulina. Esse tratamento ajuda na melhora da função pulmonar do paciente pois reduz a concentração de glicose no pulmão e, consequentemente, diminui a colonização por bactérias e fungos, possibilitando o ganho de peso.

Importante: agentes antidiabéticos orais, como metformina e glitazonas, não são eficazes para melhora nutricional e metabólica e, por isso, não são recomendados para o tratamento do diabetes relacionado à Fibrose Cística. 

Quer saber mais sobre o tema? Clique aqui e acesse o Manual de Orientação sobre Diabetes Relacionado à Fibrose Cística na íntegra. Em caso de dúvidas, lembre-se sempre de procurar o seu médico!

Por Kamila Vintureli

Referências:

https://www.fcm.unicamp.br/fcm/sites/default/files/2019/anexo/manual_drfc_1aed_2019.pdf

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui