Dia do Professor | Entrevista com a professora de fibra Leonise Reis

Categoria: Central de Conteúdo - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 15 de outubro de 2020

O dia 15 de outubro marca a passagem de um dia muito especial: o Dia do Professor. Sabemos o quão importante é o papel dos professores e professoras na vida de todos nós, não é verdade? São profissionais capazes de transformar vidas por meio do conhecimento.

E para homenagear todos os professores e professoras do Brasil, em especial os de fibra, que ensinam alunos diagnosticados com fibrose cística, a equipe do Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística entrevistou a Leonise Reis, professora do Pablo, de 8 anos e diagnosticado com fibrose cística.

Leonise é graduada em Pedagogia e possui especialização em linguagens e prática de ensino. Ela afirma que antes de ter o Pablo como aluno, nunca tinha ouvido falar sobre a doença.

“Eu desconhecia completamente a fibrose cística até ter contato com o Pablo. Em janeiro, antes de começar as aulas, eu busco o dossiê de cada aluno, para conhecer mais sobre cada um deles. E quando tive contato com o do Pablo foi quando me deparei com as informações sobre a doença. Naquele momento sabia que o melhor caminho era começar a estudar mais sobre a fibrose cística, a entendê-la para ajudá-lo da melhor maneira possível durante o período escolar”, afirmou.

A Talita Cauper é a mãe de fibra do Pablo e ressalta a importância desse esforço por parte dos professores e também da escola de alunos de fibra. De acordo com ela, entender a doença e as necessidades da pessoa com fibrose cística no ambiente escolar é fundamental para tornar sua permanência neste ambiente a melhor possível.

“Eu vejo a escola e o professor como a extensão do trabalho e dos cuidados ao aluno com fibrose cística, até mesmo para garantir a autonomia e o autocuidado dessa criança. Um professor que se interessa pelo assunto e que está aberto para ter um diálogo com os pais com certeza estará mais preparado para lidar com a demanda, não só do aluno de fibra, mas também da turma. Sabemos que muitas vezes os coleguinhas perguntam sobre porque ele usa máscara ou precisa tomar os medicamentos, e ao saber essas respostas, o professor torna o momento de questionamento o mais leve e agradável possível”, afirmou.

Talita afirma que não foram todos os profissionais que passaram pela rotina escolar do Pablo que entenderam essa necessidade de esclarecimento e cuidados, mas que este ano uma professora de muita fibra surgiu para melhorar tudo.

“Eu digo que esse ano fomos abençoados com a professora Leonise. Ela se interessou desde o início e já na primeira reunião com a gente tinha lido todo o material que disponibilizamos, sanou suas dúvidas e alinhamos em conjunto tudo que esperamos. Nós não temos problema em falar sobre a doença e preferimos seguir dessa forma para diminuir os riscos do Pablo sofrer qualquer tipo de preconceito ou bullying na escola. Acredito que quando há uma linha aberta entre aluno, família e professor, a criança sabe que será compreendida, que será respeitada quando surgir algum sintoma da fibrose cística ou quando precisar se ausentar para uma consulta médica. E o principal: os colegas vão compreender porque o colega tem esses sintomas, porque de vez em quando precisa faltar”, afirmou Talita.

Para Leonise, ter o Pablo, um aluno de fibra em sua sala de aula, trouxe aprendizados que vão muito além dos conteúdos educacionais e que transformam a forma de enxergarmos a vida e a própria profissional.

“Eu me esforcei muito desde o começo para entender as necessidades do Pablo, entender a fibrose cística, e fazer com que a turma também tenha todo esse entendimento. Ele é um aluno como qualquer outro, mas que em alguns momentos precisa de cuidados diferenciados, como tomar um medicamento ou se ausentar para uma consulta. Tentamos ao máximo tornar a experiência no ambiente escolar a melhor possível para ele, assim como para todos os alunos, garantindo que nada venha a interferir em seu aprendizado”, afirmou Leonise.

Cartilha

O Unidos pela Vida lançou a cartilha Fibrose Cística nas Escolas para auxiliar pais, professores e responsáveis. Ela é ideal para compartilhar entre os professores e equipe pedagógica do seu salgadinho e pode fazer a diferença para que a rotina no ambiente escolar seja a melhor possível!

A cartilha traz diversas informações importantes e relevantes sobre a fibrose cística, além dos cuidados que os alunos diagnosticados com a doença precisam ter no ambiente escolar, dicas para professores e responsáveis e uma ficha que você pode preencher com os dados do seu aluno de fibra. Clique aqui e baixe na íntegra! E se você quiser adquiri-la na versão impressa, entre em contato conosco pelo telefone (41) 99636-9493 ou pelo e-mail contato@unidospelavida.org.br.

Por Kamila Vintureli

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui