Depoimento Karen Fontele – Hellen, meu raio de sol

Categoria: Notícias - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 30 de dezembro de 2019

Eu me chamo Karen Fontele, sou mãe da Hellen, a quem chamo de “minha salgadinha”, como a maioria das mães de fibra. Recebemos o resultado do Teste do Pezinho em casa, o que me assustou muito, pois sabia que isso era um sinal de que havia algo errado. 

Na época a Hellen tinha 1 mês e 1 dia de vida. Aflita com o que encontrei na Internet sobre a Fibrose Cística, procurei logo o centro de saúde da minha cidade para encaminhá-la para realizar o Teste do Suor, exame que é feito apenas em Fortaleza aqui no estado, mas me informaram que ele só poderia ser feito quando o Teste do Pezinho fosse refeito. 

Então, sem querer perder tempo, fui por conta própria atrás de uma consulta para a Hellen no Hospital Infantil Albert Sabin, em Fortaleza. Fui muito bem atendida e, 15 dias depois, tínhamos o resultado positivo do Teste do Suor e minha filha foi diagnosticada com Fibrose Cística. O mundo ficou turvo naquela hora, fiquei sem ar, ainda mais quando o médico falou que minha primeira filha, Giovanna, deveria fazer o Teste do Suor também para que não houvesse dúvidas e, caso fosse positivo, também iniciasse o tratamento. Mas o resultado foi negativo e a Giovanna não tem Fibrose Cística.

Desde então eu me empenho muito para fazer todo o tratamento. A Hellen tem 3 meses e faz inalação e fisioterapia respiratória. Apenas com o leite materno ela tem ganho peso regularmente, até a nutricionista do programa de Fibrose Cística do hospital se admirou por ela ter engordado um quilo todo mês. No momento eu luto na justiça para conseguir a fisioterapia diária e gratuita para ela, pois com a ajuda da família consegui para apenas um mês e não quero deixá-la sem assistência.  

Todos os dias eu aprendo com ela e percebo como o amor é o maior incentivador ao cuidado. Ser mãe de fibra é uma luta que me faz mais forte a cada dia, por ela e para ela. Sei também que é apenas o início, mas nós venceremos e minha salgadinha vai sim ter uma vida normal igual as outras crianças, com a graça de Deus! 

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui