Avanços no tratamento da Pseudomonas aeruginosa em pacientes com Fibrose Cística

Categoria: Coluna Científica - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 15 de dezembro de 2019

Resumo de pesquisa realizada por Laura Oliveira Rolim de Carvalho, Matheus Rodrigues Nóbrega, Anne Virgynnia Rolim de Carvalho Viana, Hiana Beatriz Santos Lima Gomes da Silva, Bruna Stéfanni de Medeiros Ramos e Suellen Maria Pinto de Menezes Silva Viana. O artigo fez parte do volume exclusivo sobre Fibrose Cística da revista Visão Acadêmica da Universidade Federal do Paraná (UFPR), edição lançada em setembro de 2019 em alusão ao Mês Nacional de Conscientização da Fibrose Cística e que pode ser acessada na íntegra clicando aqui.

A Fibrose Cística é uma doença autossômica recessiva, que se caracteriza por uma disfunção na cystic fibrosis transmembrane conductance regulator (CFTR), ocasionando um espessamento das secreções em diversos órgãos.

Dessa maneira, há uma maior vulnerabilidade desses pacientes a infecções oportunistas por infecções bacterianas, dentre elas, as causadas por Pseudomonas aeruginosa. Esse patógeno é uma bactéria gram-negativa que infecta o pulmão de pacientes com Fibrose Cística e promove um declínio acelerado da função pulmonar provocando uma cronicidade da infecção.

Embora, atualmente, haja métodos terapêuticos para o combate a Pseudomonas aeruginosa, eles não têm mostrado uma alta eficácia, devido aos fatores de virulência e a alta capacidade de mutações desse patógeno, o que culmina com a multirresistência. O objetivo do trabalho é discutir os avanços no tratamento da Pseudomonas aeruginosa em pacientes com Fibrose Cística.

Trata-se de uma revisão sistemática baseada em bibliografias que registraram os possíveis avanços na terapia contra a bactéria Pseudomonas aeruginosa em pacientes com Fibrose Cística. Dessa forma, realizou-se uma seleção sistemática com trabalhos publicados nos serviços: SCIELO, PubMed/MEDLINE, BVS e BJHBS, onde foram incluídos estudos publicados nos últimos 6 anos (2013 a 2019), sem restrição linguística.

Diante da análise dos estudos, foi observado a importância das novas perspectivas terapêuticas, como antimicrobianos, imunomoduladores e outras terapias modificadoras de doenças que podem impactar profundamente a vida dos pacientes com FC. Dessa maneira, concluímos que esses avanços trazem novas esperanças para os profissionais engajados no manejo e acompanhamento dos pacientes com Fibrose Cística.

Você pode conferir esse estudo na íntegra e saber mais sobre os pesquisadores clicando aqui.

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui