Depoimento – Renata Assis

Categoria: Notícias - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 23 de dezembro de 2019

O Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística compartilha agora um pouco da história da Renata de Assis Braz, mãe de fibra da Danielle. Moradora da cidade de Barbacena, em Minas Gerais, Danielle tem 23 anos e foi diagnosticada com Fibrose Cística aos 3 meses de vida.

Antes de receber o diagnóstico da filha, a Renata nunca tinha ouvido falar na doença. Na época, os principais sintomas apresentados pela pequena Danielle eram as pneumonias de repetição e a dificuldade para ganhar peso e estatura. Como a cidade era pequena e não realizava o Teste do Suor, elas foram encaminhadas para Belo Horizonte, onde realizaram o exame e conseguiram o diagnóstico.

“O diagnóstico veio durante uma internação por conta de uma pneumonia. Desde então, a Danielle realiza o tratamento em Belo Horizonte para a Fibrose Cística. Até completar 17 anos ela tinha uma rotina normal e saudável, estudou quatro períodos de Odontologia na cidade de Juiz de Fora e estava bem, mas em 2015 precisou trancar a faculdade por conta das complicações que começaram a surgir. Foram várias internações, intensificação no tratamento com medicamentos e uso frequente de oxigenoterapia. Foram três anos em que a Fibrose Cística progrediu muito rápido e essa situação fez com que a gente buscasse ajuda em São Paulo, no centro de transplante de pulmão”, relembrou Renata. 

Em meio a tantas mudanças em seu dia a dia e com uma rotina que começou a ser cada vez mais destinada ao tratamento para a Fibrose Cística, a Danielle sentiu a necessidade de contar às pessoas mais detalhes sobre sua vida, sua doença e sua luta diária.

“Foi nesse momento que a Dani criou uma página no Instagram chamada Mina de Fibra (@minadefibra). Com a página, ela busca divulgar a Fibrose Cística para seus seguidores e também incentivar a doação de órgãos, uma campanha que ela abraçou com todas as forças. Seja um doador, avise sua família”, ressaltou Renata. 

Para a Renata, ser a mãe de uma Mina de Fibra é algo que lhe traz muito orgulho e vontade de lutar todos os dias pela divulgação da Fibrose Cística e pela conscientização sobre a doação de órgãos no Brasil.

“Sou uma mãe de fibra cheia de orgulho e que aprende diariamente com a minha filha. Aprendo a ser mais resiliente, a ter muita fé e uma gratidão enorme por Deus, que desenha tudo da melhor forma. Passamos por momentos de dor, apertos e medo, mas juntas unimos nossas forças e vencemos todas as etapas”, finalizou Renata.

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui