Time Brasil de Atletas Transplantados é destaque nos Jogos Latino-americanos na Argentina

Categoria: Notícias - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 09 de novembro de 2018

Superação, emoção e conquistas. Essas foram as palavras que definiram a participação do Time Brasil de Atletas Transplantados nos IX Jogos Latino-americanos para Transplantados em Salta, na Argentina. Entre 30 de outubro e 4 de novembro de 2018, cerca de 350 atletas de diversos países participaram da competição em diversas modalidades, como natação, atletismo, tênis e ciclismo.

Pela primeira vez, a Equipe de Fibra, projeto do Unidos Pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística, fez parte do Time Brasil de Atletas Transplantados. O clima foi de muita confraternização, suporte e alegria. Com uma delegação formada por 20 atletas, o time brasileiro conquistou o segundo lugar geral no quadro de medalhas da competição. Os atletas também contaram com o apoio da Associação Brasileira de Transplantados (ABTx).

De acordo com Cristiano Silveira, coordenador da Equipe de Fibra, todos chegaram em Salta muito focados para a competição e também para celebrar a grande vitória que é a nova vida após a realização do transplante.

“Além do clima de confraternização, também queríamos fazer bonito. Por isso, treinamos forte antes do início da competição com a ajuda do professor Bruno. Nesse momento, todos perceberam que faziam parte de um time e que estavam ali para representar o nosso país da melhor maneira possível”, afirmou Cristiano.

A medalha como um detalhe

Apesar da emoção de receber uma medalha ser indescritível, essa premiação é apenas um detalhe nos Jogos Latino-americanos para Transplantados. E esse também foi o pensamento da Andressa Suellen Batistão, que ganhou a medalha de prata nos 5km e a medalha de prata no revezamento 4×400 feminino, prova que também contou com a participação das brasileiras Liège Gautério e Luciane de Lima.

“Meu pensamento principal era ir para a competição e divulgar a doação de órgãos, essa era minha meta. Apesar do pouco tempo de treino, consegui superar os momentos de ansiedade e ganhar medalhas. Eu realmente não esperava e fiquei muito emocionada com as conquistas de todo o time. Aprendi muito durante essa semana em Salta, principalmente ao conhecer a história dos outros atletas da competição. Em uma das provas de natação que assisti, eu me emocionei muito com a dedicação dos atletas. Foi ali que presenciei um momento de verdadeira superação, mostrando que os atletas transplantados não podem desistir nunca dos seus objetivos de vida”, ressaltou Andressa.

O Gabriel Ciochetta também participou dos jogos e correu os 5km. Para ele, o sentimento é de agradecimento ao Time Brasil, aos organizadores do evento na Argentina e à todos os envolvidos na realização da competição.

“Agradeço meu doador, toda a equipe médica e meus familiares. Sem eles, nada disso seria possível. Para mim, a essência desses jogos foi a divulgação da doação de órgãos. Em Salta, vi muita vida nova e é isso que quero levar para frente. Quero mostrar que a doação de órgãos representa vida nova, um recomeço e a possibilidade de vida plena para quem recebe a doação. Esse sentimento e toda a vibração positiva dos participantes da competição me deixou encantado”, disse Gabriel.

Lágrimas de ouro

Alan Philippsen foi um dos destaques do Time Brasil na competição. Apenas 1 ano e 2 meses após a realização do transplante pulmonar, ele chegou em Salta buscando apenas fazer o seu melhor. Mas além da superação, nosso atleta de fibra também conquistou o ouro nos 100 metros, o ouro nos 200 metros, prata no revezamento 4×100 (com Renato Costa, João Pedro Campos e Carlos Rezende) e o bronze no 4×400 (com Aderson Barros, João Pedro Campos e Carlos Rezende).

“Antes dos jogos, estava esperançoso e ao mesmo tempo apreensivo, já que era a primeira vez que competiria oficialmente ao lado de atletas com mais experiência e rodagem. Graças a Deus e minha equipe, que esteve ao meu lado durante as provas, tive êxito e conquistei duas medalhas de ouro na competição. Além disso, com muita força e vontade do Time Brasil de Atletas Transplantados, também conquistei uma medalha de prata e uma bronze na modalidade 4×100 e 4×400. Estou feliz com meu desempenho e agora pretendo seguir firme no atletismo, visando integrar o Time Brasil no Mundial de 2019 também”, afirmou Alan.

Bruno Fanticelli foi para os jogos para dar suporte e treinamento aos atletas. De acordo com Bruno, a experiência nos jogos foi magnífica e a convivência com os atletas transplantados trouxe várias lições de vida.

“Senti uma energia maravilhosa vinda desses atletas. Ouvi tantas histórias sobre doação de órgãos, relatos lindos e emocionantes. Foi uma experiência profissional e humana única. Tudo me encantou demais. Chorei em cada vitória, em cada momento de superação, cada evolução. Agradeço a todos pela oportunidade, por ter sido escolhido para acompanhar os atletas e poder viver essa experiência tão intensamente”, ressaltou Bruno.

Agora o Time Brasil de Atletas Transplantados se prepara para o próximo WTG, evento que será realizado em agosto de 2019 em Newcastle. Para mais informações, entre em contato conosco pelo e-mail contato@unidospelavida.org.br.

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui