Como o ambiente tem impacto sobre as pessoas com fibrose cística?

Categoria: Notícias - Postador por: Instituto Unidos pela Vida - Data: 16 de fevereiro de 2018

De acordo com a Cystic Fibrosis Trust, há evidências crescentes de que grande parte da população da Inglaterra está exposta a níveis insalubres de vários poluentes. No Brasil, isto certamente não é diferente. Por exemplo, a poluição do ar pode reduzir a diversidade das bactérias em nossas vias respiratórias, o que pode levar a infecções.

Uma vez que os pulmões, o sistema digestivo e outros órgãos de indivíduos com FC já são afetados pela condição, é possível que o impacto da exposição a vários fatores ambientais possa ter mais efeitos adversos sobre eles que sobre as pessoas que não têm fibrose cística.

Juntamente com a poluição atmosférica, há evidências dos EUA, Canadá e Europa de que outros fatores, como o clima, a umidade, a temperatura, a poeira e a exposição à fumaça de cigarro, também podem afetar a saúde das pessoas com fibrose cística. Um estudo nos Estados Unidos mostrou que exposições à poluição do ar podem causar um risco maior de exacerbações pulmonares e um declínio na função pulmonar em pessoas com a condição. As conclusões de estudos realizados em diferentes países nem sempre são coerentes entre si, e poucos estudos sobre essas associações foram realizados até o momento na Inglaterra.

Além dos efeitos de fatores puramente ambientais (por exemplo, poluição e clima), vários outros fatores, como idade, sexo, nível socioeconômico e proximidade de um centro de FC também podem ter influência sobre a saúde das pessoas com FC, devem ser contabilizados nos estudos das associações voltadas ao meio ambiente e suas relações com as questões de saúde.

Para melhorar o entendimento do impacto dos fatores ambientais sobre a saúde dos indivíduos com FC, a Cystic Fibrosis Trust está cofinanciando pesquisas sobre a relação entre a FC e os fatores ambientais – por exemplo, onde pessoas com FC vivem e a que são expostas.

Essa pesquisa será realizada pela Small Area Health Statistics Unit (SAHSU), uma equipe de pesquisa internacionalmente reconhecida do Imperial College, em Londres.

Como a pesquisa funcionará?

A Equipe está trabalhando nesse projeto financiado pelo Trust para usar a grande quantidade de informações disponíveis no UK Cystic Fibrosis Registry (Registro de Fibrose Cística do Reino Unido) juntamente com dados detalhados sobre os fatores ambientais para estudar possíveis associações e melhorar nossa compreensão da extensão com que os fatores ambientais podem afetar a progressão da FC, e como isso pode mudar ao longo da vida dos indivíduos.

A pesquisa avaliará se há diferenças entre os grupos de indivíduos com FC em todo o país que não podem ser explicadas por variações genéticas e parâmetros sócio-demográficos, e explorará as possíveis razões para essas diferenças. Por exemplo, a detecção de um grupo de indivíduos com FC identificado com complicações mais frequentes – como um risco maior de exacerbações pulmonares e um volume expiratório forçado em um segundo (FEV1) inferior – que em outras partes do país poderia sugerir a presença de um fator de risco ambiental específico como altos níveis de exposição à poluição do ar.

O uso do Registro de Fibrose Cística do Reino Unido

Para realizar as análises, o estudo irá utilizar os dados do registro de FC do Reino Unido. Este registro inclui uma gama de informações sobre as complicações clínicas para um grande número de indivíduos ao longo de um período de mais de 20 anos. Por exemplo, os dados de FEV1 do registro permitirão uma análise do efeito sobre a função pulmonar no prazo maior, e do efeito de uma exposição a ambientes altamente poluídos no longo prazo.

A base de dados incluiu 99% das pessoas com FC no Reino Unido, sendo que 9.432 das 10.400 pessoas listadas têm código postal válido. Isso significa que o registro oferece um recurso exclusivo para estudos de pequenas áreas, e ajudará a equipe da SAHSU (Small Area Health Statistics Unit) a realizar a pesquisa com grande precisão. Utilizar informações geográficas detalhadas é fundamental nesses estudos, para atribuir uma boa aproximação das exposições reais experimentadas pelos indivíduos. Essa pesquisa complementa bem outros projetos já financiados pelo Trust como o CF EpiNet (leia mais a respeito do estudo CF EpiNet na edição da Primavera de 2017 da CF Life).

Que impacto o estudo poderia ter sobre as pessoas com FC?

Uma melhor compreensão do impacto dos fatores externos e ambientais poderia ter uma influência imediata sobre a qualidade de vida dos indivíduos com FC, informando-os sobre fatores de risco específicos e, portanto, prevenindo complicações e exacerbações.

Ao identificar os fatores ambientais que podem ter um impacto sobre os indivíduos com FC, e de que maneira, o estudo ajudaria a informar as recomendações às pessoas com FC no futuro, sobre o local onde moram ou que visitam, e o que elas podem fazer para se manterem o mais saudáveis possível.

Ao identificar quando e onde o risco aumenta devido à poluição do ar ou a outros fatores de risco também podem fornecer informações aos órgãos de saúde. No futuro, um sistema poderia ser posto em prática, no qual uma previsão ou um aumento súbito da poluição poderia desencadear um alerta aos indivíduos com FC em áreas afetadas para que precauções fossem postas em prática.

Fonte: https://www.cysticfibrosis.org.uk/news/environment-and-cf

Traduzido por Vera Carvalho, voluntária de tradução para o Instituto Unidos pela Vida. Vera é tradutora com especialidade na área acadêmica e científica ([email protected]).

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui