Depoimento Maria Eduarda – A vida muito além da Fibrose Cística

Categoria: Depoimentos - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 09 de abril de 2019

Embora não pareça, porque muitos não sabem, essa foto ai representa minha vida e minha rotina quase sempre. Existe muita coisa por trás de tudo o que eu posto nas redes sociais. Nestes canais, todo mundo posta sobre a sua vida e de vez em quando deixa de falar sobre o que realmente é importante. Eu, depois de refletir muito, percebi que sempre mostro os meus amigos, as festas, minha família , mas eu nunca mencionei com clareza uma coisa essencial da minha vida, que faz parte dela desde que eu era um bebê: a Fibrose Cística. Aos 3 meses de vida, depois de quase morrer, eu fui diagnosticada com essa doença genética, sem cura e, por sinal, bem rara. Ela se resume por afetar os meus pulmões e o pâncreas, além de outras partes do corpo.

Tudo o que acontece em nossa vida tem um propósito. As coisas não são por acaso, e eu acredito que cada pessoa tem o seu problema e sua luta para enfrentar. Ninguém recebe uma luta que não pode batalhar! E a minha é essa. Eu sempre lidei com a doença da melhor maneira possível; muito positiva e otimista. Nunca precisei me “vitimizar” por ter um problema de saúde, sempre me vi como uma pessoa normal. Não vou mentir em dizer que é sempre tranquilo, porque como tudo na vida a minha saúde também é composta de altos e baixos, e muitas vezes me vejo desmotiva e chateada. Querendo ou não, é chato ter que passar por intercorrências, mas sempre levo para o lado positivo. Até as situações ruins, pra mim, acabam sendo boas. Sempre dá pra tirar um aprendizado e enxergar a vida de novas perspectivas e, acima de tudo, estar cada vez mais forte.

Muitas pessoas veem a doença como uma coisa muito negativa, mas pra mim não é assim que funciona. Apesar de ela ser grave e não ter cura, é possível ter uma vida muito normal se os tratamentos forem feitos de maneira correta. Eu tenho conhecimento que existem muitas pessoas que sofrem muito por terem Fibrose Cística, e eu só queria que todas pudessem enxergar a vida da mesma maneira que eu enxergo. Nós devemos tentar não simplesmente viver inteiramente para o nosso tratamento. O tratamento faz parte para continuarmos vivendo, mas precisamos viver a vida além da Fibrose Cística e qualquer outro problema que nos afete

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui