Depoimento – Renata Cunha

Categoria: Depoimentos - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 24 de abril de 2019

Eu me chamo Renata Cunha, tenho 23 anos, mas não, não tenho Fibrose Cística. A Fibrose Cística na verdade foi a grande responsável e a protagonista da maior amizade que eu já tive na minha vida. Nathalia Oliveira era o nome dela. A pessoa mais guerreira, determinada, confiante, leal e forte que eu já conheci. Éramos quase vizinhas e nos conhecíamos de vista, até que um dia eu estava indo ao dentista e ela estava a caminho do Hospital das Clínicas e nos encontramos no metrô, mas como sempre, só nos cumprimentamos de longe. Eu sabia que a Nathalia tinha um blog e decidi me aproximar dela oferecendo ajuda para tirar fotos e fazer vídeos e conteúdo para o blog. Enviei uma mensagem para ela e foi a partir dessa mensagem que a nossa amizade começou.

Em 2015 a Nath fez 18 anos e foi entubada pela primeira vez. Ela tinha passado pela UTI e assim que saiu eu decidi ir visitá-la. Sempre que possível saÍa do trabalho e ia vê-la, falávamos do blog, eu levava gordices pra ela e riamos muito. Mas nesse dia foi diferente, eu fiquei cerca de 4 horas no saguão do hospital esperando a visita que estava com ela ir embora pra eu poder subir. Assim que cheguei no quarto me deparei com uma pessoa totalmente diferente da que tinha visto dias antes, ela estava mais magra, um tanto abatida e toda assada devido a esparadrapos e fralda que ela usou na UTI.

Eu abracei ela, conversamos um pouco e resolvi ir numa farmácia próxima do hospital, comprei hipoglós e uns lencinhos mais macios porque os papéis do hospital estavam assando ao redor do nariz dela. Voltei da farmácia e ela só sabia me agradecer por ter comprado essas coisas que pra ela. Foi um tanto sensível da minha parte, ajudei ela a tomar banho e ali vi o quanto ela estava fragilizada fisicamente. Em seguida, eu senti que devia passar a noite com ela e então pedi pra Nath avisar a mãe dela, que prontamente me agradeceu e disse que estava feliz da Nathalia ter a minha amizade.

Foi um momento único e que hoje eu tenho a convicção de que foi Deus quem preparou. Somente Ele pra ter nos guiado dessa forma, sendo que eu tinha ido lá apenas pra passar umas horas. Nós pintamos o livro Jardim Secreto, assistimos tv, ouvimos louvores, oramos, fiz massagem nela, ajudei ela a tomar inalação, e de madrugada quando estávamos dormindo eu levei um susto porque acordei e ela estava com o tubinho do oxigênio solto do nariz e estava com falta de ar.

O dia amanheceu, acompanhei todo o processo dela. Como nunca tinha visto antes, fiquei muito emotiva e mais admirada do quanto ela era guerreira dia após dia. Depois disso eu disse que ia embora e recebi dela um abraço apertado de gratidão. Dias depois, a Nathalia foi para a UTI de novo e eu recebi mensagem de uma enfermeira dizendo que eu deveria ir visitá-la porque ela entrou pra UTI pedindo pra me avisarem e dizendo que tinha algo pra me falar. Fiquei preocupada, mas eu tinha convicção que veria ela bem de novo e ela iria me falar o que queria. A Nath foi transferida de hospital e quando fui visitá-la ela ainda estava na UTI. Eu peguei na mão dela e disse que estaria com ela pra sempre. Dias depois recebi uma ligação às 13 horas da tarde, era a prima da Nath dizendo que ela tinha falecido pela manhã. Era dia 26/05/2015 quando eu perdi a minha melhor amiga.

Está próximo de completar 4 anos que ela partiu, mas que foi a grande responsável pela nossa aproximação e por me apresentar uma amizade verdadeira. Eu amava cuidar da Nathalia e das coisas dela, tanto quanto eu amava aprender com ela, a dar mais importância pra coisas mínimas da vida e pra coisas que fazemos sem pensar, como respirar. Hoje eu me emociono sempre que eu falo dela e eu amo falar dela. Para sempre Nathália <3

PS: Ela tinha um blog e um canal no youtube que ainda estão ativos, lá tem posts incríveis sobre Fibrose Cística, caso alguém queria ver, basta clicar aqui.

Beijos, Renata

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui