Adesão ao uso de suplementos nutricionais por crianças e adolescentes com fibrose cística

Categoria: Central de Conteúdo - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 18 de janeiro de 2021

Resumo da pesquisa realizada por Lenycia Lopes Neri e Rafaela Rodrigues Vieira. O artigo fez parte do volume exclusivo sobre fibrose cística da revista Visão Acadêmica da Universidade Federal do Paraná (UFPR), edição lançada em setembro de 2020 em alusão ao Mês Nacional de Conscientização sobre a Fibrose Cística e que pode ser acessada na íntegra clicando aqui.

A fibrose cística é uma doença autossômica recessiva hereditária com risco de vida, que leva a alterações na função dos sistemas respiratório, digestório, hepatobiliar e reprodutivo. As alterações gastrointestinais e respiratórias estão muito relacionadas com prejuízos no estado nutricional. A ingestão ideal de energia é fundamental para a saúde desses pacientes. A necessidade energética em crianças com fibrose cística é 10 a 100% maior que a da população saudável de mesma idade, sexo e tamanho. Apesar da primeira recomendação para crianças com estado nutricional abaixo do ideal ser o uso de intervenções comportamentais para melhorar o ganho de peso, isso nem sempre é suficiente, podendo ser indicado o uso de suplementos nutricionais.

O objetivo deste estudo foi avaliar a adesão ao uso de suplementos alimentares por crianças e adolescentes com fibrose cística atendidos no ambulatório de um hospital público pediátrico de nível terciário. Trata-se de um estudo descritivo retrospectivo longitudinal com pacientes com fibrose cística que fizeram uso de suplementos nutricionais, distribuídos ambulatorialmente. Os dados foram retirados dos prontuários médicos e das fichas de controle de retirada de suplementos de fibrose cística, controladas pelas nutricionistas desse ambulatório. A taxa de adesão foi calculada baseada na diferença entre o número de retiradas de suplemento previstas e realizadas pelos pacientes, considerando-se que os pacientes que retornam mensalmente para receber suplementos são aqueles que estão utilizando conforme a prescrição nutricional.

Foi avaliada a evolução do estado nutricional dos pacientes, com base na
mudança do escore-z de IMC para a idade durante o acompanhamento. Foram calculadas medidas de tendência central e de frequência. O banco de dados foi feito e as análises foram realizadas com auxílio do Microsoft Excel 2010. A amostra foi composta por 70 pacientes que receberam suplementação, dos quais a maioria foi acompanhada por 1 ano. Com relação ao estado nutricional, 64,3% dos pacientes mostraram melhora ou
manutenção da eutrofia, 24,3% apresentaram manutenção e 11,4% piora do estado nutricional. O escore-z de IMC para a idade diminui conforme a idade avança.

A maioria (41,4%) dos pacientes apresentou alta adesão à suplementação, enquanto 24,3% aderiram moderadamente e 34,3% tiveram baixa adesão. A mediana de número de suplementos utilizados foi 2. O suplemento mais frequente foi do tipo oral líquido hipercalórico, seguido pelo módulo de lipídios (TCM). A maioria dos pacientes apresentou alta adesão à suplementação nutricional, bem como melhora do estado nutricional. A taxa adesão é diferente para cada faixa etária, mas não varia devido ao número de suplementos utilizados.

Você pode conferir esse estudo na íntegra e saber mais sobre os pesquisadores clicando aqui.

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui