Dia do Pneumologista – Entrevista com Dr. Luiz Roberto Agea Cutolo

Categoria: Central de Conteúdo - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 02 de junho de 2020

Dia 02 de junho é o Dia do Pneumologista, profissional fundamental para o atendimento e cuidados das pessoas diagnosticadas com Fibrose Cística. E para celebrar essa data tão especial e homenagear todos os Pneumologistas do Brasil, o Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística, entrevistou o Dr. Luiz Roberto Agea Cutolo.

O Dr. Luiz Roberto é graduado em Medicina pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Especialista em Pediatria, possui formação em Terapia Intensiva no Hospital Infantil Joana de Gusmão e aperfeiçoamento profissional em Pneumologia Pediátrica na Universidade de Bolonha, Itália, além de possuir Doutorado em Educação e Ciência.

Atualmente é professor do Departamento de Pediatria da UFSC e Coordenador do Módulo de Doenças Respiratórias Pediátricas. De acordo com o Dr. Luiz Roberto, por se tratar de uma doença complexa, a Fibrose Cística necessita de um olhar plural.

“Esse olhar plural vem com o trabalho da equipe interdisciplinar de tratamento para a Fibrose Cística, da qual o Pneumologista faz parte. O papel do Pneumologista acaba tendo uma centralidade, mas todos os profissionais que fazem parte desta equipe têm muita importância. Talvez o discreto protagonismo do Pneumologista aconteça porque, na maioria dos casos, as complicações mais decorrentes da doença são manifestações respiratórias, mas isso é um significado pequeno tendo em vista a complexidade da doença. Um Pneumologista não consegue atender de maneira completa um paciente se não tiver, por exemplo, o auxílio de um Nutricionista que ajude a manter as necessidades nutricionais, além dos outros profissionais essenciais para o tratamento, como Geneticistas, Enfermeiros, Fisioterapeutas, entre outros”, afirmou.

A atuação do Dr. Luiz Roberto com pessoas com Fibrose Cística vem de muito tempo, desde o final da década de 1980, com variações em relação à aplicação do trabalho nos cuidados destes pacientes.

“No começo minha atuação tinha uma abordagem diferente do que é agora. Antes, eu atendia pessoas com Fibrose Cística que precisavam ficar internados nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Mas, nos últimos 8 anos, minha atuação mudou. Desde então, eu trabalho com pessoas com Fibrose Cística que estão internados em enfermarias e também realizo o acompanhamento ambulatorial”, explicou.

O Dr. Luiz Roberto ainda afirma que essa mudança de atuação com a Fibrose Cística ao longo da sua carreira o fez enxergar os atendimentos e sua relação com os pacientes de uma forma diferente.

“A partir do momento em que eu comecei a trabalhar com médicos brasileiros que também atuam com a Fibrose Cística, consegui enxergar o quão especiais eles são. Em 37 anos de formação, eu nunca vivi essa experiência de fazer parte de um grupo de pessoas com o pensamento tão determinado, focado e objetivo em relação à uma única doença, neste caso, a Fibrose Cística. Quando eu trabalhava na UTI, eu tinha uma imagem fotográfica dos pacientes. Agora, com o atendimento ambulatorial e nas enfermarias, isso mudou para uma imagem cinematográfica, em que eu consigo visualizar o caminho, a longitudinalidade do atendimento, e isso me marca muito como profissional”, afirmou.

Além do atendimento direto com as pessoas com Fibrose Cística, o Pneumologista também tem muito contato com os familiares desses pacientes. De acordo com o Dr. Luiz Roberto, essa relação também é sinônimo de muito aprendizado.

“Como a gente convive e se vê de 3 em 3 meses durante muitos anos, acabamos fazendo parte da família do paciente e os familiares também se sentem parte da nossa equipe. Isso é muito grandioso pra gente. Como iniciei há 8 anos o atendimento à crianças recém diagnosticadas, posso afirmar que conheço famílias há 8 anos e essa proximidade me possibilita ver o seu desenvolvimento, suas necessidades físicas e perceber as ansiedades que vão surgindo com o passar do tempo. Dar suporte para essas famílias é algo muito afetivo para nós”, disse.

Aos profissionais que trabalham com Fibrose Cística em todo o Brasil, o Dr. Luiz Roberto deixa a seguinte mensagem:

“Eu sou muito otimista em relação ao que temos pela frente no cenário da Fibrose Cística, e espero que todos os profissionais também mantenham o otimismo, a determinação e o carinho que já têm frente ao paciente com a doença. Tenho algo forte dentro de mim que me diz que a cura não está longe, e que nosso trabalho é essencial para alcançá-la. Por isso, precisamos seguir lutando e cada vez mais unidos”, finalizou.

O Unidos pela Vida parabeniza todos os profissionais da saúde que realizam o atendimento de pessoas com Fibrose Cística, em especial aos Pneumologistas. Muito obrigado por tudo o carinho e dedicação. Vocês fazem toda a diferença!

Por Kamila Vintureli

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui