Estudo relata que combinação de antibióticos mata bactéria resistente que afeta pacientes com Fibrose Cística

Categoria: Coluna Científica - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 25 de maio de 2020

Estudo revelou que uma combinação de três antibióticos eliminou completamente a Mycobacterium abscessus resistente a antibióticos, uma infecção bacteriana que pode causar complicações  em pessoas com Fibrose Cística (FC). Doses combinadas de três antibióticos — amoxicilina, imipenem e relebactam — foram efetivos em matar a M. abscessus isolada de pacientes com FC. 

O estudo “Effect of Amoxicillin in combination with Imipenem-Relebactam against Mycobacterium abscessus” (em português: Efeito da Amoxicilina em combinação com Imipenem e Relebactam contra a Mycobacterium abscessus) foi publicado no periódico Nature Scientific Reports

Pessoas com Fibrose Cística são suscetíveis a infecções oportunistas, incluindo a que é causada por uma micobactéria não tuberculosa (MNT) chamada Mycobacterium abscessus. A infecção por M. abscessus é resistente a muitos dos chamados antibióticos beta-lactâmicos, incluindo penicilina e amoxicilina, porque tem uma enzima —  a beta-lactamase — que quebra os antibióticos antes que eles possam agir.

Os medicamentos foram desenvolvidos para inibir seletivamente a enzima beta-lactamase, e alguns foram usados em combinação para evitar sua quebra.  Pessoas com infecção por M. abscessus frequentemente são tratadas com imipenem (comercializado como Primaxin pela Merck), que tem a maior atividade contra a M. abscessus e não pode ser quebrada pela enzima beta-lactamase.

A combinação de relebactam (um inibidor da beta-lactamase), imipenem e cilastatina (um composto que bloqueia o metabolismo de relebactam) — juntos conhecidos como Recarbrio, comercializado pela Merck — foi aprovada pela Food and  Drug Administration dos Estados Unidos em 2019 para tratar infecções bacterianas abdominais e do trato urinário. (A Merck é também conhecida como MSD – Merck Sharp & Dohme – fora dos Estados Unidos e do Canadá).

Pesquisadores da Aston University,  Reino Unido, testaram tanto imipenem quanto relebactam em conjunto com a amoxicilina contra amostras de bactérias (isoladas) tomadas de 16 pacientes com Fibrose Cística infectados. 

Em todos os casos, a adição de relebactam tornou as bactérias totalmente  suscetíveis à ação da amoxicilina, resultando em eliminação de 100% de bactérias M. abscessus.  Como esperado, o imipenem isolado foi efetivo contra a M. abscessus; contudo, essa efetividade foi aprimorada com a adição de relebactam, e melhorou ainda mais após a adição da amoxicilina.

Com a adição da amoxicilina, quatro vezes menos imipenem e relebactam foram necessários para alcançar o mesmo efeito inibitório. Uma terapia de combinação tripla que é eficiente em doses menores pode reduzir os efeitos colaterais de tratamentos estabelecidos, melhorando a saúde, qualidade de vida de pacientes com FC infectados. 

“Nossos achados representam uma descoberta oportuna e de grande impacto que facilmente pode ser traduzida para o cenário clínico, fornecendo uma nova opção terapêutica para infecções por M. abscessus”, disseram os pesquisadores.

“Nossa nova combinação de drogas é significativamente menos tóxica que as utilizadas normalmente, e até agora conseguimos matar o isolado bacteriano de cada paciente que recebemos”, disse o Dr. Jonathan Cox, professor de microbiologia na Aston University e líder da equipe, em um comunicado à imprensa.

O próximo passo será testar a combinação sobre os pacientes com Fibrose Cística infectados, e comparar essa terapia com os antibióticos já disponíveis.

“Tomar medicamentos para tratar a MNT pode adicionar a um regime já significativo de tratamentos diários, e levar até um ano para limpar as infecções. Esperamos ansiosamente pelo momento em que tratamentos efetivos e de curto prazo estejam disponíveis para tratar a MNT.”

Por Dr. Steve Bryson. Steve tem doutorado em Bioquímica pela Faculdade de Medicina da Universidade de Toronto, Canadá. Trabalhou como cientista clínico por 18 anos, tanto na indústria quanto na academia, onde sua pesquisa focou na descoberta de novos medicamentos para tratar distúrbios inflamatórios e doenças infecciosas. Recentemente Steve se afastou do laboratório entrou em comunicações científicas, onde ele está ajudando a tornar as informações da ciência médica mais acessíveis para todos.

Fonte: https://cysticfibrosisnewstoday.com/2020/01/29/triple-antibiotic-combination-kills-mycobacterium-abscessus-bacteria-affecting-cf-patients-study-reports/

Traduzido por Vera Carvalho, voluntária de tradução para o Instituto Unidos pela Vida.

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui