Técnicas autoaplicáveis: Fisioterapia respiratória na Fibrose Cística

Categoria: Central de Conteúdo - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 14 de maio de 2020

Na terceira videoaula do projeto Rodando o Brasil Online – Fisioterapia Respiratória, realizado pela Vertex Pharmaceuticals em parceria com o Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística, foram apresentadas técnicas de fisioterapia autoaplicáveis na Fibrose Cística que darão mais independência na realização do autocuidado de quem tem a doença.

A videoaula foi ao ar no dia 11 de maio de 2020 e a equipe do Instituto Unidos pela Vida traz agora os principais pontos tratados na live ministrada pelo Fisioterapeuta, Dr. Evanirso da Silva Aquino e que teve a participação da Psicóloga, fundadora e diretora geral do Instituto, Verônica Stasiak Bednarczuk de Oliveira. Confira abaixo!

Ciclo ativo das técnicas respiratórias

O ciclo ativo das técnicas respiratórias é uma combinação de várias técnicas, como a técnica de expiração forçada, controle da respiração e exercícios de expansão torácica. Uma grande vantagem do ciclo ativo da respiração é que você pode fazer em qualquer lugar quando sentir a necessidade.

Componentes da técnica

A primeira etapa é o controle da respiração. Você deve respirar gentilmente pelo nariz, fazendo o menor esforço possível. No momento de soltar o ar, você deve soltar entre os dentes, fazendo uma leve resistência. 

A segunda etapa é o exercício de expansão torácica. Com os membros superiores e o tórax relaxados, faça uma inspiração lenta e profunda. No final da expiração, segure a respiração sem soltar o ar contando lentamente até 3. Em seguida, é só soltar o ar devagar.

Na terceira etapa temos a técnica de expiração forçada. Nesta etapa você deve soltar o ar de forma rápida, com a boca e a garganta aberta. Para facilitar a realização dessa parte da técnica, a orientação é fazer o uso de um bocal cilíndrico de papelão ou de material plástico.

Existem diferentes sequências para a realização do ciclo ativo da respiração. Discuta com o seu fisioterapeuta a sequência mais indicada para você.

Drenagem autógena

Essa técnica é utilizada para eliminar as secreções dos pulmões por meio da variação do volume de ar inspirado e com episódios mínimos de tosse. Ela não necessita de ajuda, no entanto, exige que o paciente preste atenção nos sons produzidos e sinta a secreção sendo mobilizada no momento que solta o ar. A drenagem autógena é realizada em 3 estágios bem definidos de acordo com o volume de ar que inspiramos.

Para iniciar, você deve estar sentado confortavelmente com uma mão na barriga e a outra na região superior do tórax. Inicialmente, olhando a figura ao lado, tente respirar sentindo toda a variação de volume de ar nos pulmões. 

O primeiro estágio consiste na respiração a baixos volumes, trazendo a respiração para a região da barriga e da base dos pulmões. No final da inspiração, segure o ar nos pulmões por 3 segundos e solte devagar apoiando a mão esquerda no tórax. Repita esse estágio por, no mínimo, 3 vezes.

No segundo estágio, a respiração é realizada a volume corrente, ou seja, uma respiração em repouso. Você deve trazer a respiração mais para a região do abdômen, conforme orientado no primeiro estágio. Porém, nessa fase, você vai inspirar um pouco mais de ar quando comparado com o primeiro estágio. No final da inspiração, mantenha o ar nos pulmões sem soltar por 3 segundos, e em seguida solte o ar com a mão apoiada no tórax. Repita por, no mínimo, 3 vezes.

No terceiro estágio você deve fazer uma respiração lenta e profunda, trazendo a respiração para a região do tórax inferior e superior. Após respirar profundamente, enchendo todo o tórax de ar, mantenha a respiração sem soltar o ar por 3 segundos e solte lentamente. Lembre-se do posicionamento correto no tórax e abdómen. Repita esse estágio por, no mínimo, 3 vezes. Detalhe importante: mantenha a inspiração pela boca e com a garganta aberta. 

Caso não consiga realizar essas técnicas sozinho, peça ajuda para o seu fisioterapeuta! Nenhuma destas técnicas visa substituir a sua consulta com o fisioterapeuta, porém, podem te ajudar a manter o seu tratamento diariamente!

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui