Maior amor da minha vida…

Categoria: Notícias - Postador por: Instituto Unidos pela Vida - Data: 07 de maio de 2010

Este título é de uma pessoa maravilhosa, é de uma mulher que eu confesso não saber ao certo como descrevê-la. Vou me arriscar e tentar…

Ela tem olhos castanhos e o olhar mais puro que eu já conheci. Um olhar daqueles arrebatadores, que conquistam no primeiro momento, que te deixam sem chão de tanto amor. Ela tem os cabelos mais macios, com cheirinho dela só, que emolduram o rosto mais amável que já conheci. Ela tem mãos belíssimas, que não sei explicar ao certo, mas parece que tem uma magia que quando encosta em mim cura, acalma, protege. Ela tem braços fortes, capazes de me levar aonde preciso, de me levantar quando preciso, de me carregar no colo mesmo 23 anos depois de quando eu realmente precisava ser carregada. Ela tem pernas ágeis, que correm pra onde for preciso, quantas vezes forem preciso, garantindo que tudo ficará bem. Ela tem pés lindos, capazes de carregar esta estrutura perfeita.

Agora, indo um pouco mais a fundo para tentar explicar melhor, ela tem um coração que não cabe dentro dela… Tanto que ela exala amor pelos poros, é impressionante. Ela tem cheirinho de amor. Tem também uma alma puríssima, que já garantiu sua suíte master no céu! Ai… as lágrimas estão dificultando um pouco minha visão… Mas acho que estou conseguindo descrever o maior amor da minha vida, né?

Para não perder o costume da “nova moda” no mundo da Fibrose Cística, ela é uma “mulher de FIBRA”. De muita fibra. Ela é forte, guerreira, batalhadora. Ela… Ela… Ela é a minha mãe!!! Sim!!! É ela a dona do título de “Maior amor da minha vida”!!! E como é bom falar dela. Como é bom ser filha dela. Como é bom ser a melhor amiga dela.

E, domingo é o dia dela? Não. Todo dia é dia dela. Todo dia é dia de todas as mães. Acho que é uma obrigação de cada filho, justamente por ser filho, desejar “feliz dia das mães” todos os dias.

Eu queria te dar o mundo, mãe. Eu não queria te dar o trabalhão que eu dou, e talvez este seja o sentimento de muitos filhos… Mas, sei que, assim como as tartaruguinhas, nosso casco nunca é maior do que o que podemos carregar… Então, essa é a nossa missão aqui. Você ser minha mãe, eu ser sua filha, e nós sermos felizes para sempre. Tipo casamento mesmo. Na saúde e na doença, na alegria ou na tristeza, vou te amar por todos os dias da minha vida…

E eu só tenho a te agradecer por tudo. TUDO. Eu te amo mais que tudo nessa vida!

E desejo hoje e sempre um FELIZ DIA DAS MÃES para todas as mães de fibra. Aquelas que, sem sombra de dúvidas, devem ter descrições parecidas com a da minha, pois como já diria o ditado “mãe só muda de endereço”.

(Minha mamãe maravilhosa, Maria Luiza, e eu! Porque eu também pego minha mãe no colo…)

Depoimento enviado para a equipe do Instituto Unidos pela Vida por e-mail por Verônica Stasiak.
Este relato tem cunho informativo. Não pretende, em momento algum, substituir ou inferir em quaisquer condutas médicas. Em caso de dúvidas, consulte sua equipe multidisciplinar.

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui