O que são os pólipos nasais?

Categoria: Central de Conteúdo - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 18 de julho de 2020

A Fibrose Cística é uma doença genética, rara e ainda sem cura, que faz com que toda a secreção do organismo da pessoa com a patologia fique mais espessa que o normal, dificultando sua eliminação.

Além da pneumonia de repetição, tosse crônica, suor mais salgado que o normal e a diarreia, um dos sintomas mais comuns da Fibrose Cística são os pólipos nasais. Mas o que é isso?

Pólipos nasais são estruturas gelatinosas que crescem dentro do nariz e nos seios nasais. Essas pequenas bolsas de tecido inflamado podem crescer individualmente ou em grupos, variando de caso para caso. A Otorrinolaringologista e Coordenadora do Ambulatório de Fibrose Cística do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, Dra. Renata Pilan, afirma que é preciso ficar atento ao aparecimento dos pólipos nasais.

“Essas estruturas acabam atrapalhando muito a respiração, causando obstrução nasal e facilitando ainda mais a retenção de secreção. Nesse sentido, o nariz acaba virando uma espécie de reservatório de bactérias, desenvolvendo sinusite e a polipose nasal. Existe um possível mecanismo de passagem dessas bactérias do nariz para o pulmão. Por isso, é muito comum que, alguns dias antes da pessoa com Fibrose Cística ter uma exacerbação pulmonar, ela tenha apresentado sintomas nasais, como a sinusite”, afirmou.

A Dra. Renata Pilan ainda reforça que os pólipos nasais também podem ocasionar corrimento nasal e perda do olfato.

“Os pólipos nasais podem atrapalhar muito o olfato da pessoa com Fibrose Cística. E o olfato está diretamente relacionado com o apetite e paladar. Então, não sentir bem o cheiro pode ter uma relação com a desnutrição, pois esse paciente acaba perdendo a vontade e o prazer em comer, reduzindo cada vez mais o número de refeições que realiza durante o dia, o que pode impactar diretamente na sua qualidade de vida”, afirmou.

De acordo com a Dra. Renata Pilan, o pilar do tratamento é a lavagem nasal, em especial a lavagem de alto volume. Clique aqui para conferir o vídeo que a Dra. Renata e a Dra. Renata Mori prepararam sobre o tema.

“A lavagem propicia uma facilitação da drenagem da secreção e melhora dos sintomas nasais. Para reduzir o processo inflamatório, usualmente prescrevemos corticosteróides tópicos que podem ser usados tanto na lavagem quanto em spray. Estes são especialmente indicados em pacientes com pólipos nasais como uma tentativa para reduzir seu crescimento. Uso de mucolítico, como a dornase alfa para inalação intranasal, utilizada no pós-operatório de cirurgia nasossinusal, também mostra redução na formação dos pólipos e melhora dos sintomas. Em casos de exacerbação da sinusite, quando há mudança das características da secreção habitual com aumento da quantidade de secreção, dor e febre, é provável que seja iniciado tratamento com antibióticos (oral ou tópico)”, ressaltou.

Quando o tratamento clínico não se mostra satisfatório no controle dos sintomas, e após discussão com equipe multidisciplinar, pode ser indicada uma cirurgia nasossinusal, com objetivo de retirar pólipos e secreção, melhorar os sintomas obstrutivos nasais, ampliando as aberturas dos seios, permitindo que lavagem nasal seja mais efetiva e que medicações tópicas consigam atingir mais locais dentro do nariz.

“É importante saber que a sinusite na pessoa com Fibrose Cística é crônica e que pode haver recorrência dos sintomas ou da formação dos pólipos, mas com uma indicação adequada, a cirurgia nasal contribui muito com a melhora da qualidade de vida dos pacientes”, finalizou.

Caso você note o aparecimento de obstrução, congestão ou secreção nasal, alteração do olfato, dor ou pressão facial em você ou no seu familiar com Fibrose Cística, converse com o seu médico! Esse profissional poderá avaliar o caso e recomendar a melhor forma de tratar a situação.

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui