Confira os requisitos para doar sangue no Brasil

Comunicação IUPV - 27/05/2022 11:15

A doação de sangue é um ato de amor e solidariedade que pode salvar vidas, porém, alguns requisitos para doar sangue devem ser considerados na hora da decisão sobre se tornar doador. Por isso, o Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística, compartilha agora informações importantes sobre o tema e que poderão te ajudar no momento desta decisão. 

Quais os requisitos para doar sangue?

Não são todas as pessoas que podem se tornar doadoras de sangue, e para fazer parte desse time é preciso seguir algumas regras. Os requisitos para poder doar sangue no Brasil são:

  • Ter entre 16 e 69 anos;
  • Pesar mais de 50 quilos;
  • Possuir e apresentar documento oficial com foto;
  • Estar em boas condições de saúde e bem alimentado antes da doação;
  • Estar descansado e ter dormido, no mínimo, 6 horas nas últimas 24 horas que antecederam a doação;
  • Menores de 18 anos só podem doar com consentimento formal dos responsáveis;
  • Pessoas entre 60 e 69 anos podem doar se já tiverem realizado alguma doação antes dos 60 anos.

Onde posso doar sangue?

Para doar sangue você deve procurar uma unidade de coleta de sangue em sua cidade ou em uma região próxima, como os Hemocentros. Clique aqui e confira a lista de Hemocentros do Brasil disponibilizada pelo Ministério da Saúde.

Como é feita a doação de sangue?

Doar sangue é um procedimento rápido, simples e seguro. Em cada doação a quantidade máxima de sangue retirada é de 450 ml e o seu organismo irá repor o volume de sangue doado logo nas primeiras 24 horas após a doação. Nenhum dos materiais utilizados neste processo é reutilizado, garantindo a segurança do doador e evitando qualquer tipo de contaminação.

Os homens podem realizar até quatro doações de sangue por ano, com intervalo de dois meses entre cada uma delas. Já as mulheres podem doar sangue três vezes ao ano, com intervalo de três meses entre uma doação e outra.

Cuidados após a doação de sangue

Após a doação de sangue, recomenda-se que o doador faça um lanche nutritivo e saudável e descanse, evitando esforços físicos por, no mínimo, 12 horas, além de aumentar a ingestão de água. Além disso, é proibido fumar por duas horas e ingerir bebidas alcóolicas por 12 horas após o procedimento.

O doador de sangue não deve dirigir veículos de grande porte, trabalhar em andaimes ou praticar atividades como mergulho e paraquedismo depois de doar. Também é importante que o curativo permaneça no local da punção por, no mínimo, quatro horas.

Comunidade LGBTQIA+ e doação de sangue

Por sete votos a quatro, em 08 de maio de 2020, o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou as restrições que proibiam homens gays de se tornarem doadores de sangue no Brasil. Na ocasião, foi decidido que as normas anteriores do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que proibiam a doação entre esse público, são inconstitucionais.

Com essa decisão, a partir da publicação no Diário Oficial da União (DOU), homens gays, mulheres trans e travestis, que são tratadas pelo gênero masculino no momento da doação, também podem se tornar doadores de sangue no Brasil.

Doe sangue regularmente

Doar sangue pode salvar vidas, pois há sempre uma pessoa precisando de você. Em algumas situações, como na realização de transplante pulmonar, é possível que pessoas com fibrose cística também necessitem da sua doação. Doe e faça a diferença! Caso siga com dúvidas sobre como se tornar um doador de sangue, entre em contato com o Hemocentro mais próximo ou busque a ajuda de um profissional da saúde. 

Quer fortalecer o trabalho realizado pelo Unidos pela Vida? Clique aqui e escolha a melhor forma de fazer uma doação.

Por Kamila Vintureli

Referências:

https://www.gov.br/saude/pt-br/composicao/saes/sangue

https://www.gov.br/saude/pt-br/acesso-a-informacao/acoes-e-programas/doacao-de-sangue/hemocentros-no-brasil

https://portal.stf.jus.br/noticias/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=443015&ori=1

Nota importante: As informações aqui contidas têm cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e/ou o tratamento médico. Em caso de dúvidas, fale com seu médico.

Fale conosco