Tratamento com Symdeko (tezacaftor/ivacaftor)

Categoria: Central de Conteúdo - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 23 de agosto de 2021

O medicamento conhecido como modulador, chamado Symdeko, é uma combinação de medicamentos (tezacaftor e ivacaftor) desenvolvidos pela Vertex Pharmaceuticals . É uma medicação oral que deve ser ingerida juntamente com um alimento gorduroso.

Este medicamento foi aprovado primeiramente nos Estados Unidos, em fevereiro de 2018, e hoje, pode ser usado em pacientes acima dos 06 anos, tanto nos EUA, quanto na Europa. No Canadá e na Austrália, ele foi aprovado para uso em crianças acima de 12 anos. 

No Brasil, o Symdeko foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) em 27 de janeiro de 2020. Em julho de 2020, a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) publicou o medicamento em sua lista de preços, tornando-o apto para comercialização no Brasil.

Em 27 de julho de 2021 a Vertex Pharmaceuticals submeteu o dossiê do medicamento para avaliação da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no Sistema Único de Saúde (Conitec). Este dossiê contém todas as informações importantes sobre o medicamento, como dados sobre sua indicação, eficácia, preço, entre outros aspectos. Agora, a Conitec irá avaliar este documento no prazo de 180 dias (período que pode ser prorrogado por mais 90 dias). Clique aqui para saber mais.

As pessoas com fibrose cística aptas a utilizar esse medicamento variam de acordo com as mutações aprovadas em cada país. No Brasil, as mutações aprovadas pela Anvisa são: duas cópias da mutação F508del, ou que tenham uma cópia da mutação F508del e pelo menos uma das seguintes mutações no gene da FC: P67L, D110H, R117C, L206W, R352Q, A455E, D579G, 711+3A→G, S945L, S977F, R1070W, D1152H, 2789+5G→A, 3272-26A→G, e 3849+10kbC→T.

Recentemente, os EUA aprovaram a extensão do tratamento para mais 127 mutações diferentes, levando a um total de 154 mutações que respondem ao tratamento com Symdeko.

 Como funciona o Symdeko?

A fibrose cística é uma doença genética que leva ao aparecimento de um muco mais grosso nos pulmões e em outros órgãos. Esse muco causa sintomas como dificuldade para respirar, alto risco de infecções pulmonares e problemas digestivos.

A doença é causada por mutações no gene CFTR, gene que dá as instruções necessárias para a célula produzir a proteína CFTR. Essa proteína controla a produção de muco indispensável para lubrificar os pulmões e outros órgãos. A proteína faz essa regulação, controlando o transporte de íons, como o cloro e o sódio através das membranas das células. Esse movimento de íons também influencia o movimento de água para dentro e fora da célula.

Mutações no gene CFTR levam a um defeito no transporte de íons e água, o que faz com que seja produzido um muco grosso e pegajoso. A mutação genética mais comum é a delta F508. Essa mutação faz com que a proteína CFTR perca sua forma tridimensional normal.

Neste cenário, o Symdeko restaura a função correta da proteína CFTR. Esse medicamento contém o tezacaftor, uma molécula corretora que consegue levar a proteína defeituosa até a membrana da célula, para que a proteína possa transportar os íons de cloro. O outro medicamento presente no Symdeko é o ivacaftor, que melhora o fluxo de cloro através da membrana das células, deixando a proteína aberta por mais tempo na membrana, aumentando assim, o tempo pelo qual esse fluxo de cloro ocorre.

Pesquisa clínica com Symdeko

Diferentes pesquisas clínicas em fase 3 realizadas com o Symdeko demonstraram benefícios em pessoas com fibrose cística

Uma pesquisa em fase 3 durou 24 semanas (NCT02347657) e se chamou EVOLVE. Essa pesquisa verificou a segurança e eficácia do Symdeko em pessoas com duas cópias da mutação delta F508. Um total de 477 pacientes completaram os testes clínicos randomizados, duplo-cego e controlados por placebo. A medida da eficácia do medicamento foi o volume expiratório forçado em 1 segundo (FEV1). Essa medida é a quantidade de ar que uma pessoa pode expelir em 1 segundo após uma respiração profunda.

O grupo tratado alcançou uma melhora média de 4,0 pontos percentuais na FEV1 da linha de base, quando comparado com o placebo – resultado que os pesquisadores consideraram significativo.

Symdeko também reduziu as exacerbações, levou a um aumento no ganho de peso e na qualidade de vida (medido por meio de uma escala, em um questionário que os participantes responderam), quando comparado com os que tomaram placebo.

Dos 477 pacientes, 461 decidiram continuar usando o Symdeko em uma pesquisa clínica estendida, chamada de EXTEND (NTC02565914), na qual se verificou a segurança e eficácia do tratamento a longo prazo.

Outra pesquisa clínica de fase 3, chamada EXPAND (NTC02392234) avaliou a eficácia e segurança do Symdeko por 8 semanas em pacientes com 2 mutações que levam a uma menor função do gene CFTR – uma mutação delta F508 e outra mutação que tem somente função residual do gene CFTR. Nessa pesquisa, os participantes receberam Symdeko, Kalydeco, ou placebo.

Os 235 pacientes tratados com Symdeko, demonstraram melhora de 6,8 pontos percentuais no FEV1, comparado com o grupo placebo. A combinação (ivacaftor e tezacaftor) também foi mais eficaz do que somente o tratamento com ivacaftor (Kalydeco), o que gerou uma melhora de 4,7 pontos percentuais na FEV1, comparados com o placebo. O Symdeko também melhorou a qualidade de vida dos participantes  quando comparados com as pessoasque tomaram placebo.

A Vertex Pharmaceuticals usou os dois resultados da fase 3 para submeter essa terapia combo para a aprovação da FDA (órgão responsável pela aprovação de medicamentos nos EUA) e para a Agência Europeia de Medicamentos (EMA). A submissão para o FDA foi para o uso do Symdeko em pessoas com fibrose cística acima de 12 anos, com uma ou duas cópias da mutação delta F508. Em 12 de fevereiro de 2018, o FDA aprovou a requisição.

A Vertex Pharmaceuticals também completou outra pesquisa clínica de Fase 3 (NCT02412111) com o Symdeko em pessoas acima dos 12 anos com 1 cópia da mutação delta F508 e uma segunda mutação responsiva ao tratamento com ivacaftor. Esse estudo recrutou 156 pacientes acima dos 12 anos, para receber ou Symdeko, ou Kalydeco, por 8 semanas, após receber primeiramente o Kalydeco por 4 semanas. Ao final do tratamento, os pesquisadores compararam mudanças no FEV1 entre os dois grupos. Os resultados mostraram que ambos os tratamentos são seguros, bem tolerados e levou a melhora clínica dos sintomas. Entretanto, a melhora com o Symdeko não foi significativamente melhor do que quando usado somente o Kalydeco.

Por fim, um estudo de fase 3 (NCT02953314) avaliou Symdeko em 70 crianças, de 6 a 11 anos com fibrose cística nos EUA e Canadá. Os resultados mostraram segurança e foram bem tolerados, com dados similares aos participantes acima dos 12 anos. A solicitação para a expansão da aprovação para crianças a partir dos 6 anos, foi amplamente baseada nesses resultados.

 Outras informações

Os efeitos colaterais mais comum do Symdeko foram: dor de cabeça, náuseas, congestão nasal e tontura.

Fonte: Essas informações foram retiradas em 20/02/2021 do site: https://cysticfibrosisnewstoday.com/symdeko-tezacaftor-ivacaftor-combo-therapy/

Traduzido por Mariana Camargo, biomédica, PhD e mãe da Sofia, diagnosticada com fibrose cística.

Revisão: Verônica Stasiak Bednarczuk de Oliveira, fundadora e diretora geral do Unidos pela Vida, diagnosticada com fibrose cística aos 23 anos. Psicóloga, especialista em análise do comportamento, especializanda em Direitos Sociais e Políticas Públicas e Mestranda em Ciências Farmacêuticas com ênfase em Avaliação de Tecnologias de Saúde pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui