Tipos de máscara de proteção – Série Especial Coronavírus

Categoria: Central de Conteúdo - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 02 de abril de 2021

A máscara de proteção ainda se mostra como um dos principais cuidados para evitar o contato com o coronavírus, evitando assim a covid-19.. Utilizar a máscara reduz a quantidade de carga viral com a qual você entrará em contato, o que, na prática, significa a redução dos riscos de contaminação.

Desde que a pandemia começou, no início de 2020, muito tem se questionado sobre qual o melhor tipo de máscara de proteção e como ele deve ser utilizado. Por isso, o Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística, fez uma lista com tudo que você precisa saber sobre o tema. 

Qual máscara escolher?

Existem vários tipos de máscara de proteção disponíveis para utilização. No início da pandemia, as feitas de pano se mostraram como a melhor opção para a população geral, já que as cirúrgicas estavam em falta até mesmo para os profissionais da saúde. Porém, após um ano de pandemia e a normalização no fornecimento deste item, as máscaras cirúrgicas e o modelo PFF2/N95 são a melhor opção considerando proteção.. Confira abaixo uma lista com os vários tipos disponíveis e informações importantes sobre cada um deles:

PFF2: um dos modelos mais indicados, o PFF2 (mesmo padrão da N95) é eficiente na hora de filtrar as partículas do vírus espalhadas pelo ar por meio da tosse ou espirro. Ele deve cobrir a área do nariz até a boca de maneira completa para proteger as vias aéreas. É possível realizar o uso deste modelo por  no máximo, uma semana, desde que não esteja úmida ou amassada. Esse tipo de máscara é o mais recomendado principalmente para pessoas que fazem parte do grupo de risco, como as que têm fibrose cística. 

Máscara cirúrgica: vista como uma das melhores opções, esse tipo de máscara precisa estar sempre ajustado ao rosto para que se tenha o mínimo de vazamento de ar possível. De acordo com o “Guia das máscaras” publicado pelo pediatra, Dr. Flávio Melo, em seu perfil oficial nas mídias sociais, ele deve ser descartado a cada duas horas ou caso fique molhado ou rasgado.

Máscara de tecido: ainda de acordo com o Dr. Flávio, esse item deve ter três camadas: duas de tecido natural (como o algodão), e uma interna de tecidos sintéticos (como seda ou poliéster), cobrir bem a boca, o nariz e o queixo, ficando bem ajustada no rosto. Além disso, não deve deixar nenhuma fresta na área lateral, superior ou inferior. Esse tipo de máscara pode ser reutilizado, desde que, após o uso, seja feita a higienização com desinfetante. Idealmente, o item precisa ser descartado definitivamente após 30 dias de uso. Pessoas que fazem parte do grupo de risco, como as diagnosticadas com fibrose cística, devem evitar o uso desse tipo de máscara e optar pelas duas opções citadas nos itens acima. 

Máscara de tricô: apesar de ter se tornado “tendência” desde o início da pandemia, as máscaras de tricô não protegem contra a covid-19 e seu uso não é recomendado.

KN95: Diferente da N95 (ou PFF2), a KN95, de acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), quando testado, este modelo mostrou falhas de eficiência mínima (95%) de filtragem de partículas. Por isso, não tem a mesma eficiência da PFF2 e seu uso é pouco recomendado entre profissionais da saúde e pessoas que integram o grupo de risco.

Face Shield: de acordo com a bióloga, Dra. Cláudia Bica, os escudos faciais, os chamados face shield, são recomendados para pessoas que possuem alguma dificuldade no uso correto das máscaras de proteção. Porém, é preciso ter em mente que o seu uso não exclui a necessidade da utilização de uma máscara facial, ou seja, os dois itens devem ser usados de maneira combinada.

Agora que você já conhece bem os principais tipos de máscara de proteção, confira abaixo algumas dicas preparadas pelo pediatra, Dr. Flávio Melo, sobre o que não fazer:

Com todas essas informações você poderá optar pelo melhor tipo de máscara, e caso ainda tenha dúvidas sobre como colocar ou descartar o item, confira abaixo o vídeo preparado pela Dra. Cláudia Bica sobre o assunto.

Referências

https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/resolucao-re-n-1.480-de-11-de-maio-de-2020-256310859

https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/337199/WHO-2019-nCov-IPC_Masks-2020.5-eng.pdf?sequence=1&isAllowed=y

http://www.cofen.gov.br/wp-content/uploads/2020/03/Nota_T%C3%A9cnica_Anvisa.pdf

CTBIO. Uso de máscaras de proteção. Universidade Federal da Saúde de Porto Alegre. 2021.MELO, Flávio. O guia das máscaras. 20 de janeiro de 2021. Disponível em: https://www.instagram.com/p/CKpIJ1eDSdl/.

MELO, Flávio. O guia das máscaras. 20 de janeiro de 2021. Disponível em: https://www.instagram.com/p/CKpIJ1eDSdl/.

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui