Uma história de fibra: Sabrina Walker

Categoria: Equipe de Fibra - Postador por: Instituto Unidos pela Vida - Data: 23 de julho de 2014

Sabrina WakerSabrina Smith Walker, americana de 28 anos, da cidade de Anchorage no Alasca, foi diagnosticada com Fibrose Cística aos 4 anos. Quando nasceu, disseram que ela não viveria até os 8. Não foi o que aconteceu. Ela sobreviveu e começou a correr aos 12 anos porque a sua mãe acreditava (e ela tinha razão) que a corrida poderia ser usada como uma forma de limpeza das vias aéreas.

“Ela me levava para uma pista perto de onde morávamos e definia uma meta: correr 10 minutos sem parar”. Isso sempre funcionou comigo. Aprendemos que a corrida me ajudava a tossir e soltar o muco espesso de meus pulmões”.

Isso tornou-se um hábito e Sabrina acabou entrando para equipe de cross-country da escola no ensino médio.

Mas os desafios não param por aí…

Quando Sabrina tinha 19 anos, ela foi diagnosticada com linfomanão-Hodgkins (um tipo de câncer). Ela parou de correr para passar por sessões de quimioterapia e radioterapia. Seu renascimento nas corridas começou em 2010, depois de estar em remissão por 5 anos.

Sabrina estava então no seu primeiro ano de faculdade. Ela queria ser mais pró-ativa em relação à fibrose cística. Correr é uma forma de limpeza das vias aéreas que ajuda a livrar seus pulmões do muco espesso e pegajoso que abriga bactérias e pode levar à deterioração pulmonar rápida.

Não foi fácil…

Sabrina conta como foi sua primeira tentativa de voltar a correr. “Eu corri para 7 minutos e pensei que meus pulmões estavam prestes a explodir“. Foi então que ela decidiu que precisava para voltar a correr. Ela começou devagar, correndo de 2 a 3 dias por semana. Mas em 2011 ela se inscreveu para Runto Breathe, uma prova de 10km com o Team Boomer. Foi nessa prova que decidiu correr uma corrida de 16 milhas em benefícios da fundação. Ela se inscreveu em corridas mais curtas para se preparar e não olhou para trás. “Eu sou grata por poder correr. Isso me mantém viva!”

O maior orgulho de Sabrina foi correr uma prova de 16 milhas (25,7Km) numa montanha chamada Lost Lake. A prova foi beneficente para as pesquisas em fibrose cística. “Eu estava motivada nesta corrida difícil, mas eu nunca tinha corrido mais de 10 milhas. Foi uma corrida dura e meus pulmões doeram todas as 16 milhas. Fotos de pessoas que sofrem de FC foram colocados em cada marcador de meia milha e elas me inspiraram. Minha imagem estava na milha 9 e, quando eu passei, eu disse a mim mesma que nunca a FC vai me impedir. Terminei me sentindo forte e orgulhosa!”

“Gosto de angarear dinheiro para a fibrose cística! Estou ansiosa pelo dia em que uma cura seja encontrada e estou otimista de que estarei viva para experimentar este milagre.” Ela conta também que correu a meia maratona da Rock CF em Michigan em março desse ano. “Foi emocionante. Eu me senti tão grata.No início da corrida, eu quase comecei a chorar porque havia milhares de pessoas que estavam participando desta corrida para apoiar uma causa que afeta diretamente eu e tantas outras pessoas. Foi uma experiência verdadeiramente inspiradora. Outra coisa impressionante foi que 24 pessoas com FC participaram dessa prova!”

Que conselhos Sabrina dá para as pessoas com FC que desejam iniciar um programa de exercícios?

“Começar a correr é extremamente difícil para qualquer pessoa, com ou sem FC. Honestamente pode ser doloroso“, diz ela. Sabrina incentiva as pessoas a começar devagar, definir uma meta e ter tempo toda semana para fazer o necessário para atingir esse objetivo. “Isso não acontece do dia para noite, mas se você colocar isso na cabeça, você pode realizar qualquer coisa.”

“Se o seu objetivo é correr uma maratona, faça tudo o que puder para alcançar esse objetivo. Certifique-se de treinar na intensidade adequada e aprenda sobre seu corpo no processo. Também é importante cuidar do seu corpo, alongamento, hidratação, comer alimentos nutritivos e fortalecê-lo. Lembre-se de seu objetivo e mantenha isso em vista, anote e olhe para o seu objetivoa cada dia.”

Sabina está concorrendo no Concurso Mundial de capa da Revista Runner’s. Com seu voto ela pode estar na capa da revista Runner’s World – uma recompensa incrível para todo o seu trabalho duro e uma incrível oportunidade de divulgar a fibrose cística.

Links originais: http://goo.gl/9XFFpfhttp://goo.gl/N2boHU

Adaptação: Equipe de Fibra / Instituto Unidos pela Vida

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui