Para quem recebe um aluno com Fibrose Cística

Categoria: Depoimentos - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 03 de setembro de 2018

Por Lu Viam, colunista do Instituto Unidos pela Vida e mãe de duas meninas com Fibrose Cística

Em conversas com  outras mães de crianças com Fibrose Cística (FC), notei que a escola é uma das grandes preocupações da maioria. Por isso, hoje quero falar com você que recebe um aluno com FC.

A maioria das pessoas com FC não aparentam ter uma doença grave e, por isso, muitas pessoas acreditam que todos os cuidados que precisam são frescura ou superproteção. Vamos tentar entender isso.

Existem algumas bactérias, bastante comuns, que para as crianças sem FC não causam grandes problemas e muitas vezes são eliminadas sem o uso de medicamentos, o que inclusive ajuda no aumento das defesas do organismo e isso é muito bom.

O problema é que exatamente essas bactérias estão entre as mais temidas para quem tem FC, podendo levá-los a internação para a eliminação das mesmas porque, neles, podem causar danos irreversíveis aos pulmões.

Sei de pessoas que, ao tentarem explicar isso, ouviram que uma “bacteriazinha”todo mundo tem e faz até bem pegar. Pra quem tem FC, não faz! Nós lutamos diariamente, fazemos inalações, fisioterapia e cuidamos muito da nutrição para que nossos filhos tenham menos chances de pegar uma bactéria! Eles fazem exame em todas as consultas com a equipe que cuida deles para detectar e eliminar bactérias o mais rápido possível, para diminuir a possibilidade de danos.

Então, para nós, não existe ‘bacteriazinha”: é preciso proteger as crianças delas! Sabemos que professores não são médicos e não têm obrigação de entender de todas doenças, mas normalmente só pedimos para avisar quando tem uma criança doente na sala porque, para nossos filhos pequenos, é melhor não ir à aula do que correr riscos. Além disso, é nosso papel também auxiliar o dia a dia do professor: Conte pra ele sobre o que é a FC, explique quais são os cuidados importantes (alimentação, higienização, etc etc) e certamente a relação ficará mais fácil e segura para ambas as partes.

E, para finalizar, não desprezem as orientações do responsável a respeito dos cuidados com a criança, não é frescura nem superproteção, é da vida dos nossos filhos que estamos falando!

Dicas de leitura:

Sobre a Fibrose Cística –  Para Professores e Equipe

Criança com Fibrose Cística na Escola

Gibi do Super Fibra!/

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui