Ciclo de Palestras do Instituto reúne cerca de 100 pessoas em SP

Categoria: Eventos - Postador por: Instituto Unidos pela Vida - Data: 22 de março de 2013

conviteNo último dia 16 de Março, no Hotel Higienópolis, foi realizado o Ciclo de Palestras: Exercício Físico na Fibrose Cística – Edição São Paulo.

A abertura do evento foi realizada pela fundadora e diretora do Instituto Unidos pela Vida Verônica Stasiak, que relatou a emocionante história da fundação do Instituto e qual o seu papel atualmente na sociedade, incluindo estrutura organizacional e projetos em andamento.

Em seguida, a platéia foi agraciada pela palestra da Dra. Neiva Damaceno, Chefe do Ambulatório de Fibrose Cística da Santa Casa de São Paulo,  falou sobre questões clínicas da Fibrose Cística e do acompanhamento médico nas atividades físicas. Dra. Neiva relatou alguns benefícios da atividade física, como:

•Crianças FC podem ser fisicamente mais inativas devido a carga de tratamento da sua doença;

•Uma grande melhora nos níveis de capacidade de exercício tem sido importante para a sobrevida em pacientes com FC;

•“Síndrome da criança vulnerável”- pode limitar a percepção dos pais das habilidades da sua criança;

Contudo, ressalta que  a capacidade de exercício na FC depende da função pulmonar do paciente, de sua função muscular periférica, do seu estado nutricional e de sua habilidade de sistema cardiorrespiratório  para atender à demandas metabólica  associada ao exercício. De acordo com a médica, a rotina de atividades físicas tem demonstrado reduzir a taxa de perda da função pulmonar, principalmente, nas meninas.

Ainda com relação à benefícios, a atividade física na Fibrose Cística melhora condicionamento físico, aumenta a resistência, melhora a Densidade óssea, a força muscular, postura, expectoração do muco e a qualidade de vida.

“O exercício como meio terapêutico é sub utilizado. Treinamento com exercícios e a atividade física habitual tem se mostrado efetivos na redução da perda da função pulmonar, particularmente, em meninas”neiva

Algumas barreiras para o exercício físico na fibrose cística:

•Função pulmonar diminuída

•Estado nutricional

•Má condição cardiorrespiratória

•Psicossociais  relacionadas a carga de cuidados com a doença crônica

•Hospitalizações por exacerbações da doença respiratória

•Comorbidades

“Estado nutricional tem sido identificado como o maior determinante da capacidade anaeróbica do exercício”

Após a explanação da Dra Neiva, a Dra Hilda Jimenez, fisioterapeuta, Mestre em reabilitação pela Queen´s University do Canadá, que falou sobre como obter o máximo de benefícios na prática do exercício físico. 

Dra. Hilda falou sobre como aproveitar o máximo do exercício, e citou alguns pontos, como:hilda

– Cuidando o coração

– Toda atividade física aumenta o debito cardíaco (FC)

– Devido a demanda de oxigênio nas extremidades  e se ultrapassa 80% da FC ou tem uma saturação de < 90% estamos colocando em estresse o coração.

– Se o esforço físico esta mais concentrado nos braços, como remar, ele acelerara mais o coração devido a falta de processadores  do oxigênio nos músculos superiores.

– Se o esforços é extenuantes podem agravar ou provocar um processo inflamatório (leucocitos,linfocitos IL6 celulasT) Peladas, balada

(Ploegeri et al Exerc Immnol Ver 2009: 15:6-14)

Como mensagem final, Dra Hilda disse que devemos acalmar a nossa ansiedade, aceitar nossos limites. E disse que sempre precisamos dividir nossas conquistas!

Após o intervalo que também serviu como confraternização dos aproximadamente 100 participantes, Cristiano Silveira,

4_1

coordenador da Equipe de Fibra, abriu sua palestra contando da história de criação da Equipe de Fibra, e citou algumas fontes de inspiração para este projeto.

Ao final da sua apresentação, Cristiano recebe emocionado o certificado de participação do Ciclo e uma lembrança por sua participação das mãos de Marcos Marini, a primeira pessoa com FC a completar uma maratona na América Latina, de Thamiris Sabas, a primeira pessoa com FC brasileira a integrar a Equipe de Fibra e completar uma prova de 5km com ele e da Verônica Stasiak, diretora e fundadora do Instituto Unidos pela Vida.

Cristiano convidou Marcos Marini para sua palestra, que emocionou a todos. Marcos deu lições de determinação, força e coragem. Portador da mutação DeltaF508 / DeltaF508, Marcos provou que disciplina e adesão ao tratamento fazem grande diferença. Ele frisou a importância do acompanhamento médico e de Educadores Físicos neste processo, e contou para a platéia grandes histórias de superação ao longo de seus 28 anos de idade.

Ao final do evento, os participantes foram agraciados com a surpresa do Pai de Fibra Amarildo Campos, que cantou a canção “Essa Tal FC”, emocionando a platéia.

Ama_1

 Em breve teremos este Ciclo de Palestras em Curitiba, Porto Alegre, Belo Horizonte e Rio de Janeiro! Fique atento às publicações do Instituto Unidos pela Vida!
Nossos sinceros agradecimentos:
– Comissão Organizadora: Denise Pereira, Suzana Dias, Glauco Torres, Cristiano Silveira e Verônica Stasiak;
– Fotógrafa Voluntária: Juliana Thies
– Cinegrafista Voluntário: Roger Abrego
– Hotel Higienópolis
– AGNews
– REI Roupas Esportivas Inteligentes
– Cia do Impresso
– UP Sports
– Race
E todos os que ajudaram direta ou indiretamente!
OBRIGADA!

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

 

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui