Como saber se seu nebulizador está funcionando corretamente?

Categoria: Central de Conteúdo - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 10 de julho de 2020

No dia 06 de julho de 2020 foi ao ar a penúltima videoaula do projeto Rodando o Brasil Online, realizado pela Vertex em parceria com o Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística. Durante a transmissão, o Fisioterapeuta, Dr. Evanirso Aquino, deu dicas sobre como identificar se o seu nebulizador está funcionando adequadamente. Confira abaixo os principais pontos tratados durante a videoaula.

Como avaliar se o seu nebulizador está funcionando adequadamente?

Os nebulizadores foram criados para o tratamento inalatório da doença pulmonar na Fibrose Cística. Os medicamentos mais utilizados são a alfadornase, os antibióticos inalatórios e os muco ativos, como a solução salina hipertônica.

O nebulizador forma um aerossol, que precisa ter diversos tamanhos, e que serão depositados em diferentes áreas da árvore brônquica. Por isso, o nebulizador precisa formar partículas maiores para atingirem as vias aéreas superiores e partículas menores, para atingir a área mais periférica dos pulmões. 

Um nebulizador que funciona de forma adequada fará com que 15% do medicamento chegue aos pulmões, fazendo com que o tratamento seja benéfico para o paciente. Porém, qualquer alteração nesse nebulizador pode comprometer essa porcentagem, prejudicando o tratamento da pessoa com Fibrose Cística.

Mas como saber se ele está funcionando de forma adequada? Como saber se o paciente está sendo beneficiado pela inalação? 

A avaliação do nebulizador é feita inicialmente pelo estudo in vitro, onde é avaliado o tamanho das partículas, o débito de volume nebulizado, a quantidade ofertada de medicação, o volume residual e a porcentagem de partículas respiráveis.

Depois de testado o equipamento, é avaliado se o nebulizador está fazendo com que a medicação interaja de forma adequada e chegue dentro dos pulmões, realizando um exame fisiológico, de cintilografia, onde é possível identificar o padrão de deposição das partículas, levando em consideração as diferenças anatômicas e fisiopatológicas. Em alguns casos, é possível avaliar a concentração sérica da medicação.

Outra forma de avaliar se o nebulizador está funcionando de maneira adequada é por meio dos estudos de comportamento clínico dos pacientes com Fibrose Cística. Considera-se a descolonização, verificando o quanto diminuiu a quantidade de bactérias presentes dentro do pulmão daquele paciente. Também é avaliada a melhora na eliminação das secreções pulmonares e a melhora ou estabilização da função pulmonar, indicativos que, clinicamente, o tratamento com aquele nebulizador está tendo efeitos positivos.

Dentro dos centros de referência também é possível fazer a análise do nebulizador por meio da pesagem do equipamento, comparando o peso pré-inalação com o peso seco do item. Caso o volume residual aumente, é indicativo de que o nebulizador está deixando de ofertar a medicação e precisa ser trocado.

Detalhes importantes

Alguns detalhes importantes devem ser considerados pelas pessoas com Fibrose Cística e familiares para verificar se o nebulizador está funcionando adequadamente.

O primeiro passo é, ao receber o nebulizador e realizar a primeira inalação, anotar o tempo gasto neste procedimento. Esse será o seu parâmetro. Caso o tempo de inalação comece a aumentar, é preciso verificar o que está acontecendo com o equipamento.

Também é importante guardar o período de compra e de uso do nebulizador, respeitar as orientações do manual do equipamento, realizar a troca adequada e rigorosa dos acessórios, além de fazer a limpeza e higienização adequada do nebulizador.

Outra dica importante é comparar os valores de função pulmonar e o volume e aspecto da secreção. Caso ocorram variações, é preciso ficar atento e verificar o que pode estar causando essas mudanças. 

A avaliação dos sinais clínicos da exacerbação da Fibrose Cística também é um ponto que necessita da atenção. Os principais sinais da exacerbação pulmonar são aumento da tosse, da produção do catarro, febre, está com falta de apetite, perda de peso, faltou na escola ou trabalho, se as atividades do dia a dia estão cada vez mais difíceis de serem realizadas, se houve aumento da frequência respiratória, se surgiram novas imagens na radiografia do tórax, novos achados na ausculta pulmonar ou diminuição na SpO2.

Caso o paciente com Fibrose Cística comece a apresentar alguns desses sintomas, ele provavelmente está exacerbado e precisa iniciar o tratamento. Fique atento para o fato desses sintomas estarem diminuindo com o passar do tempo e com a realização do tratamento. Se esse for o caso, é sinal de que o nebulizador está funcionando adequadamente.

De maneira resumida, as principais dicas para avaliar se o nebulizador está funcionando adequadamente são:

Confira abaixo a videoaula completa!

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui