Prioridade no setor de emergência | Mitos e Verdades sobre a Doação de Órgãos

Categoria: Central de Conteúdo - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 08 de outubro de 2020

Em 2020, mais de 45 mil brasileiros estão na fila de espera por um transplante, aguardando ansiosamente o SIM de uma família que poderá transformar suas vidas. Infelizmente, em volta do tema da doação de órgãos, existem muitos mitos que acabam fazendo com que as pessoas optem por não manifestar sua vontade de ser doador.

E para ajudar a esclarecer várias dúvidas sobre esse tema, além de reforçar a importância de ser doador de órgãos, o Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística, lançou a coluna Mitos e Verdades sobre a Doação de Órgãos. Em nosso primeiro texto, falamos sobre não ser preciso deixar um documento ou registro assinado para ser doador (isso é verdade! Para ser doador, basta avisar sua família!). Clique aqui e confira esse texto na íntegra. Agora, vamos falar sobre o primeiro mito que envolve a doação de órgãos no Brasil.

Se os médicos da emergência souberem que sou doador, não vão se esforçar para me salvar?

MITO! E sim, esse é um dos grandes mitos envolvendo a doação de órgãos no Brasil. Infelizmente, muitas pessoas têm esse tipo de pensamento e acabam optando por não manifestar sua vontade de ser doador de órgãos.

Mas não se preocupe, essa afirmação se trata de um mito e não reflete a realidade da situação. Caso você, seu familiar ou amigo estiver doente ou ferido e procurar ajuda em um hospital, a principal prioridade da equipe médica que realizará o atendimento é salvar a sua vida! A doação de órgãos não é considerada durante esse momento e, independente de você ser doador de órgãos ou não, os profissionais utilizaram todos os recursos possíveis para que você se recupere. 

Portanto, se você já ouviu esse mito por aí, ou tem algum amigo, familiar ou conhecido que pensa dessa forma, converse com ele e relate o que acabou de ler aqui na página do Unidos pela Vida. Quanto mais informações sobre a doação de órgãos espalharmos, mais pessoas terão suas dúvidas sobre o tema esclarecidas e, consequentemente, entenderão a importância de se declarar doador de órgãos.

E se você é doador, não esqueça de conversar com a sua família sobre o tema. Manifeste seu desejo de ser doador, esclareça eventuais dúvidas que possam surgir e deixe a vida prosseguir. A doação de órgãos é um ato de amor que pode salvar vidas! Seja doador!

Por Kamila Vintureli

Referências:

http://www.abto.org.br/abtov03/default.aspx?mn=473&c=916&s=0&friendly=mitos

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui