27 de setembro – Dia Nacional de Doação de Órgãos

Categoria: Notícias - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 24 de setembro de 2018

O dia 27 de setembro é considerado o Dia Nacional de Doação de Órgãos. O grande objetivo desta data é divulgar a doação de órgãos e conscientizar toda a população brasileira sobre a importância de ser doador. A partir deste trabalho de conscientização, a meta é ajudar as milhares de pessoas que aguardam pelo transplante de órgãos no país.

O carioca Jonathan Barcelos de 20 anos foi uma dessas pessoas. Ele foi diagnosticado com Fibrose Cística aos 5 anos de idade e realizou um transplante aos 19. No total, a espera durou 5 meses e cada minuto de aguardo foi compensado pelos benefícios que o procedimento trouxe.

“Pouco tempo após o transplante já voltei a trabalhar, estudar e agora curso Ciências Contábeis. Hoje, vivo melhor do que nunca! Faço tudo que quero sem nenhum tipo de limitação”, afirmou.

Jonathan participa de diversas ações e campanhas que incentivam a doação de órgãos no país. “Várias atividades acontecem em parceria com associações de vários estados do Brasil e no mês de setembro, a campanha junto ao Governo Federal também promove ações de conscientização. Realizamos caminhadas, divulgamos filtros para o Facebook, posts nas redes sociais, panfletagem… Tudo para incentivar as pessoas a se tornarem doadoras de órgãos”, ressaltou Jonathan.

Para quem ainda espera na fila por um transplante, Jonathan deixa a seguinte mensagem. “Não percam a esperança! Mais cedo ou mais tarde, o dia da realização do transplante chegará e a sua vida após o procedimento tem tudo para ser maravilhosa! E para todos, no geral: doe órgãos, doe vida! Uma pessoa pode salvar até oito! Seja doador, avise sua família. Milhares de pessoas esperam a chance de uma vida nova e plena, deixe a vida prosseguir”.

Seja um doador de órgãos!¹

O Ministério da Saúde afirma que, para ser um doador de órgãos, basta conversar com sua família sobre a sua vontade em ajudar. No Brasil, a doação só pode ser feita após a autorização da família do doador. Existem dois tipos de doador:

Doador vivo: qualquer pessoa que concorde com a doação, desde que o ato não prejudique sua própria saúde. Ele pode doar um dos rins, parte do fígado, parte da medula óssea ou parte do pulmão. De acordo com a lei, parentes até quarto grau e cônjuges podem ser doadores. Pessoas que não são parentes podem realizar a doação somente com autorização judicial.

Doador falecido: Paciente com morte encefálica, geralmente vítima de catástrofes cerebrais (traumatismo craniano ou derrame cerebral).

Os órgãos doados vão para pacientes que necessitam de um transplante e estão aguardando em lista única, definida pela Central de Transplantes da Secretaria de Saúde de cada estado e controlada pelo Sistema Nacional de Transplantes.

Fonte:1: Ministério da Saúde

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui