Série Especial Coronavírus: realidade de quem tem Fibrose Cística

Categoria: Central de Conteúdo - Postador por: Comunicação IUPV - Data: 16 de abril de 2020

A equipe do Unidos pela Vida – Instituto Brasileiro de Atenção à Fibrose Cística, lançou a Série Especial Coronavírus com o objetivo de compartilhar informações seguras sobre o COVID-19 e temas relacionados especificamente à comunidade da Fibrose Cística de todo o Brasil. Já trouxemos aspectos gerais do novo Coronavírus, sua relação com a Fibrose Cística e também a importância do isolamento social.

Agora, neste novo texto da série, vamos relacionar alguns pontos vividos pelas pessoas com Fibrose Cística do Brasil, em sua realidade cotidiana, com aspectos que, por conta do novo Coronavírus, também estão sendo vivenciadas pela população brasileira como um todo.

O primeiro ponto diz respeito ao distanciamento social. Para evitar a contaminação pelo novo Coronavírus, uma das principais recomendações é que as pessoas devem permanecer, no mínimo, a dois metros de distância uma das outras, evitando apertos de mãos, abraços e beijos no rosto. Mas você sabia que essa é a realidade das pessoas com Fibrose Cística?

Por conta dos altos riscos de contaminação cruzada de bactérias, ou seja, o risco que um paciente com Fibrose Cística tem de ‘pegar’ ou ‘passar’ bactérias para outros indivíduos com a doença, os profissionais da saúde não recomendam que pessoas com Fibrose Cística fiquem muito próximas umas das outras. Quando existe o contato, geralmente é com o uso de máscara e por pouco tempo (o recomendado é de no mínimo 1 metro de distância). Essa situação, inclusive, inspirou o nome do livro e filme Five Feet Apart (A Cinco Passos de Você na tradução).

Evitando a contaminação

Por conta do novo Coronavírus, a recomendação para que a população lave as mãos com água e sabão com frequência e passe álcool em gel várias vezes ao dia também é vista como uma das maneiras de se manter longe do vírus. Esse cuidado deveria ser seguido por todos nós, mesmo em tempos sem pandemia, e é o que acontece com as pessoas com Fibrose Cística.

Para evitar o contato com bactérias, vírus e germes, a equipe médica desses pacientes sempre recomenda que mantenham as mãos higienizadas, tenham álcool em gel sempre por perto, evitem locais com aglomeração de pessoas ou pouco ventilados e não tenham contato com pessoas doentes. Isso acontece porque o contato com determinado vírus ou bactéria que geralmente não traz preocupações para pessoas sem Fibrose Cística, pode trazer complicações para a saúde de quem tem a doença.

Falta de medicamentos

O pânico inicial causado pelo novo Coronavírus fez com que muitos medicamentos e itens essenciais fossem comprados de maneira exagerada pelos consumidores, o que resultou na falta desses materiais em supermercados e farmácias. Álcool em gel, máscaras de proteção e alguns medicamentos, como a hidroxicloroquina (indicada para o tratamento de malária, artrite reumatoide, lúpus eritematoso, entre outros), estão sendo comprados sem consciência pela população brasileira e prejudicando as pessoas que realmente precisam fazer uso dos itens.

No caso da Fibrose Cística, infelizmente, é comum que alguns medicamentos fundamentais para o tratamento das pessoas diagnosticadas com a doença também tenham a entrega prejudicada em várias regiões do país por motivos variados, como por exemplo falta de recurso no governo, entre outras justificativas encontradas pelas pessoas durante todo o ano. Recentemente divulgamos a luta da Associação Pernambucana de Amparo aos Fibrocísticos (APAF) – Lara Thays Mattos Sandes, para regularizar a entrega dos medicamentos em Pernambuco e esse é apenas um dos vários casos que são realidade em nosso país.

A pandemia causada pelo novo Coronavírus fez com que a população se tornasse mais atenta a alguns cuidados com a própria saúde e com a saúde do próximo. Quando tudo isso passar, que tal continuar seguindo com esses cuidados? Manter as mãos sempre higienizadas, utilizar álcool em gel, evitar cumprimentar pessoas com proximidade quando estiver doente e comprar racionalmente medicamentos e itens utilizados por profissionais da saúde são medidas que protegem a sua saúde e o bem-estar de todos ao seu redor! Que esta pandemia nos deixe importantes lições e que saibamos levá-las para toda vida!

Nota importante: As informações aqui contidas tem cunho estritamente educacional. Em hipótese alguma pretendem substituir a consulta médica, a realização de exames e ou, o tratamento médico. Em caso de dúvidas fale com seu médico, ele poderá esclarecer todas as suas perguntas.

Você vai gostar também...

Newsletter

Assine o nosso boletim informativo mensal. Clique aqui